A Brigada Militar prendeu no início da noite desta segunda-feira (11), o autor da morte de Nicanor Peruzzatto, 37 anos, ocorrido na noite da última quinta-feira (07), no bairro São Caetano, Zona Sul de Caxias.

O crime ocorreu às 21h40min, na Estrada São Marcos da Linha Feijó, quase esquina com a Rua Renato Alves de Oliveira. Conforme informações da esposa da vítima, a motivação para o crime teria sido por causa do ataque de cães contra uma das filhas que estava andando pela rua junto com o casal.

Já a versão do acusado identificado como Eduardo de Souza, 22 anos, que confessou a autoria do assassinato é de que ele já tinha uma rixa antiga com a vítima e de que naquela noite houve o encontro deles no local onde ocorreu o crime.

Junto com Souza a polícia encontrou o revólver calibre 38, utilizado na noite do crime. O acusado já tem passagens pela polícia por roubo e foi encaminhado

O delegado titular da Delegacia de Homicídios, Rodrigo Kleger Duarte, que acompanhou o depoimento do acusado, esclarece que naquela noite aconteceram dois fatos isolados em relação ao crime.

Conforme o relato do acusado ele estava sendo ameaçado pela vítima e que o encontrou na Estrada São Marcos da Linha Feijó, e em seguida foi até em casa pegou a moto do pai e um revólver e na sequência foi até onde estava Peruzzatto e efetuou os cinco disparos que o matou.

Sobre a versão do ataque dos cães o delegado confirmou o ocorrido, mas esse fato teria acontecido no intervalo entre o momento em que o autor do crime encontrou e vítima e em seguida foi até em casa buscar a moto e o revólver para matá-lo.
“São dois momentos distintos daquela noite. Houve sim o incidente envolvendo os cães que atacaram as filhas da vítima, mas o dono dos cães não foi quem matou o Peruzzatto”, afirma.

Conforme o delegado o até então suspeito de ter praticado o crime foi até a delegacia ainda na manhã da sexta-feira (08), e confirmou a história sobre os cães, mas disse que não fez nada. Ainda conforme informações da polícia, o dono dos cães está sendo ameaçado de morte sem ter praticado o crime que vitimou Nicanor Peruzzatto.