Na Mesa Principal, alguns integrantes da comissão de aniversário

Uma cerimônia realizada na manhã de quinta-feira, 13 reuniu autoridades, alunos, professores, diretoria, convidados, ex-alunos e ex-professores e demais representantes da comunidade escolar para celebrar os 50 anos do Colégio Cnec de Estância Velha, que oferta Educação Básica com curso de robótica e ensino bilíngue a cerca de 360 alunos por ano. A escola foi a sede das comemorações que também contou com a prefeita Ivete Grade e o vice-prefeito Luciano Kroeff.

Os convidados foram recebidos na sede da escola com um coquetel e direcionados ao local dos festejos, onde formaram a mesa principal alguns integrantes da comissão de aniversário do colégio: a diretora Camile Moreira Alves, a professora Iandara Jaques da Silva, as coordenadoras Carina Mossmann e Ana Lúcia Pires da Silva e a mãe Grasiela Cardoso, sendo em seguida acompanhados pela execução do Hino Nacional e uma apresentação surpresa feita por alunos e o professor de música Márcio Riegel que cantaram o Hino Cenecista acompanhados da Banda Marcial, sendo a banda um sonho que a escola realizou já no ano passado e que abrilhantou ainda mais o evento.

Compromisso com o próximo

“A Cnec me convenceu de que o grande compromisso da vida é com o próximo”, com essa frase do fundador da Cnec, professor Felipe Tiago Gomes, foi dado início as comemorações que também tiveram o prestígio de amigos e associação da Rede Cnec, que representaram a Mantenedora. Uma festa regada a emoção, assim foi a celebração do 50o aniversário da escola cenecista de Estância Velha, cuja história é recheada de muitas vivências, aprendizados e grandes sonhos.

As comemorações incluíram apresentação de vídeo e esquete da Cnec 50 anos, feita pelo ex-alunos Cenecista, Pedro Vinicius. Além disso, uma exposição de imagens da escola convidava a todos para contemplares a história por meio de fotos e muitas reflexões como outra lembrada do professor Feipe Tiago Gomes: “Um ginásio apenas era a nossa meta, mas a ideia se espalhou pelos generosos corações brasileiros e transformou-se na maior obra de ensino comunitário das Amáricas, com unidades de direção.” Com esse propósito do professor Felipe, o ideal cenecista também chegou a Estância Velha.