Em Ivoti, cerca de 300 famílias vivem da agricultura (Créditos: Rafael Petry)

Aproximadamente 300 famílias de Ivoti vivem da agricultura no município, segundo informações da Secretaria de Desenvolvimento, que tem à frente a secretária Denise Rodrigues da Silva. Horticultura, avicultura, bovinocultura e silvicultura estão entre as culturas mais fortes. Além de abastecer o mercado interno, incluindo mercados, fruteiras e as variadas feiras promovidas pelo município, a produção abastece também a região Metropolitana. Entre as localidades onde mais se destacam as propriedades rurais estão Picada Feijão, 48 Alta, 48 Baixa, Nova Vila, Colônia Japonesa, Feitoria Nova e Bom Pastor. “Na produção primária, Ivoti é um município essencialmente rural”, afirma a secretária.

Para impulsionar a agricultura o município distribui gratuitamente aos produtores rurais, adubo químico e orgânico, oferece prestação de serviços com máquinas públicas (horas máquina), assistência técnica ao produtor (extensão rural), fomento a silvicultura por meio de parcerias para a distribuição de mudas de acácia e adequações na legislação que possam favorecer o desenvolvimento das atividades agrícolas no Município.

De acordo com Denise, tem se trabalhado em Ivoti para aumentar a emissão de notas do Bloco de Produtor Rural, visto que há grande incremento no retorno ao Município por meio de tributos estaduais advindos da produção primária. “Esse retorno é diretamente revertido em melhorias por meio de incentivos diversos ao setor”, aponta.

Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Ivoti, Presidente Lucena e Lindolfo Collor, a maior parcela na agricultura local é de produtores com pequenas propriedades, destacando-se na Picada 48 Alta, a silvicultura e produção de carvão; na Picada Feijão, olericultura e produção de leite; na Nova Vila, olericultura e produção de carvão; e na Picada 48 Baixa, silvicultura e produção de carvão.

Agroindústrias

Denise destaca avanços significativos com as agroindústrias regularizadas no SIM (Serviço de Inspeção Municipal) e tendo a equivalência nas inspeções com o Estado, o SUSAF, onde as indústrias de alimentos de origem animal podem produzir aqui e comercializar em todo o Estado.

Instaladas na cidade e em operação, há cooperativas voltadas ao trabalho no campo, como a Proagrii e a Cooapi, que desenvolvem um trabalho bastante intenso unindo forças aos agricultores para incrementar cada vez mais as atividades e a diversidade de produtos, bem como a qualidade de vida dos trabalhadores do campo.