Conecte-se conosco

 

Colunistas

A festa não pode parar, nem com greve

Um exemplo de união aconteceu no sábado, na Sociedade de Linha Nova. Após o recebimento da notícia que a banda que animaria a festa de coroação da corte do Tiro e Bolão não iria conseguir chegar a Linha Nova, o povo se uniu, reuniu alguns músicos “da casa” e tocou o baile. Parabéns aos envolvidos. Mesmo com a “banda Improviso”, o baile seguiu com sociedade lotada. Muito bacana a iniciativa de manter a festa firme e forte. Segue uma foto dos músicos da “banda Improviso”.
(coluna banda improviso gw)

CURIOSIDADES DA CORTE

CASAL BOM DE TIRO: O casal Marlon e Beatriz fizeram mais pontos no Tiro, no masculino e feminino, respectivamente.
AREND DOMINA: A família Arend dominou a corte do Bolão masculino. Pai, filho e sobrinho na corte. Moisés, Valdir e Mário formaram a corte.
1ª DAMA, NOS DOIS: Beatriz também foi primeira-dama nas duas cortes, do Tiro e do Bolão. A única pessoa que fez parte de duas cortes neste ano.
COINCIDENTE: Coincidentemente, Marlon foi o 1º Cavalheiro do Tiro, fazendo “par” com a esposa.

CPI

Voltou à Câmara o assunto de 2015 e 2016 sobre o calçamento das ruas 25 de Julho e Emancipação, na época com críticas ao preço da obra orçado na então administração de do ex-prefeito Nicolau Haas. Os vereadores da oposição fizeram um pedido de CPI para investigar a forma de pagamento e o possível superfaturamento com a obra. Mesmo que a Prefeitura já tenha alegado suas defesas, os vereadores acreditam que a cobrança esteja sendo realizada de forma errada e solicitaram a abertura da CPI na quinta-feira passada, durante a sessão.

E

E aí que entra um caso no mínimo curioso. A Câmara de Linha Nova suspendeu as atividades do Legislativo por tempo indeterminado um dia depois do pedido da CPI e sem dar uma resposta sobre. O presidente Rodrigo (MDB) disse que a suspensão dos serviços é em apoio aos caminhoneiros e em razão da falta de combustível para vereadores e a única funcionária da Câmara ir até o local. Vamos pensar um pouco: a Câmara de Vereadores tem um funcionário, sessões a cada 15 dias, praticamente, e não tem veículos. Seria necessário isso mesmo? Até em período de férias o Legislativo trabalha com vereadores “de plantão” para responder alguma demanda. Vale lembrar também que nenhuma Câmara da região suspendeu as atividades de tal forma e acredito ainda que não houve sequer adiamento de sessões devido à falta de combustível. Apoiar os caminhoneiros é, sim, importante num momento tão crítico, mas não creio que suspender os trabalhos do Legislativo seja a melhor e mais correta forma disso.