Conecte-se conosco

Coluna Dois Irmãos

Os abacaxis que o governo vai ter que descascar em Dois Irmãos

– A CPI foi aprovada por 5 a 4 na Câmara. Aconteceu exatamente “o oposto” (?) que esta coluna escreveu ontem. Erramos?
– Os bons entendedores já entenderam.
– Tanto é que há 15 dias falamos que, às vezes, usamos de ironia e de metáforas para dar um recado. Ou seja, jogamos verde para colher…
– E o recado foi dado no final da frase de ontem quando falamos em eleição daqui a alguns meses. Isso pesa muito! E também ao frisar que se Léo votasse contra, seria a segunda bola nas costas do povo, pois da outra vez, deu o voto de minerva para aprovar o IPTU…

SURFOU

Neste episódio, Léo saiu por cima. Parabéns, afinal, quem não deve não teme. Aliás, a CPI pode terminar em pizza ou pode ser que a obra esteja 100% correta. Mas, se por acaso der problema, vai respingar em quem? Não será justamente naquele secretário tido como adversário de Elony, Sérgio e do próprio Léo para ser vice do Jerri. Não é?
Enfim, estava desenhado o resultado, mas se a gente escrevesse que a CPI seria aprovada, o resultado seria outro. E mais um detalhe: depois que terminou em pizza a CPI do ISEV, depois que o promotor mandou reabri-la e colocou em pratos limpos quantos milhões teriam sido desviados pelo ISEV, qual vereador seria louco em votar contra uma CPI? Ah, bem…

PEPINO

Afora a CPI, a próxima polêmica será a terceirização do serviço da Emergência. Não vamos opinar a respeito. Ainda. Mas podem apostar que será um pepino para a dobradinha Jerri e Renato descascar no ano que vem.
Ou será para o Filipin? Ou para Paulão do PSD? Ou para Sérgio Fink, ou para Renz, ou para Rogério, ou para Juliano, ou Eder, ou para Léo, ou para Juarez ou para quem mais? Miguel e Jair deixamos fora das cabeças de chapa? Ah, é mais uma metáfora (ou ironia) para colher ali na frente. Recorte e guarde, porque outro dia falaremos mais deste assunto”

QUE COISA!

– Na segunda-feira deu um toró que causou até alagamento em uma loja aqui do Centro. Agora, olha como são as coisas: no pluviômetro do Sindicato Rural deu 38ml e na casa do Pedrinho (Bairro Becker) deu 45ml. Já no Morro deu do 29ml, mesmo tanto que marcou o nosso pluviômetro no Vale Direito. Ou seja, a chuva pegou mais de lado, mais ao sudeste da cidade, choveu quase 50% mais do que na zona norte.
– Agora, veja o que aconteceu no domingo: lá em cima no pluviômetro do meu pai deu 15ml e no Morro deu 20ml. Porém, na casa do Pedrinho nem choveu. Ou seja, a chuva pegou mais a zona norte lá pra cima, para o Morro, enquanto ali “nos Becker” e na Colônia Japonesa não deu um pingo.
“Chuva de verão”, diz o ditado, chove aqui e não chove ali. Aliás, a gente lembra que uma vez um tio comentou que estava lavrando (arando) na roça e choveu, mas a chuva molhou um boi e não molhou o outro boi do outro lado da canga. “Ah vá”! Acho que este tio era pescador…
– A mensagem positiva do dia, de presidente Getúlio Vargas (ditador esquerdista do Brasil?): “Quem não aguanta o trote, não monte no burro”.