Conecte-se conosco

Panela de Pressão

Parece que é coisa de filme de ficção e não a realidade que encaramos nos dias de hoje

Parece que o brasileiro tomou consciência de que o coronavírus é sério e é chamado de Pandemia pela Organização Mundial de Saúde porque o problema é mundial. Quando alguém de nós podia imaginar uma coisa dessas. Todo mundo com quem falo repete a mesma coisa. O que está acontecendo no Brasil e no mundo nunca passou pela cabeça de ninguém. Parece que é coisa de filme de ficção e não a realidade que encaramos nos dias de hoje. Basta ver como ficaram as ruas pelo Brasil afora e em nossas cidades ontem, que tomou um choque de realidade em que nos encontramos diante deste inimigo invisível. O coronavírus existe, pode estar entre nós e nem sabemos. 80% das pessoas nem sabem que tem o vírus e não acontece nada com elas. O problema é que elas infectam outros ao seu redor e é aí que mora o perigo. Desta forma se multiplica o número de infectados e 20% deles apresentam os sintomas. Mais leves ou até graves. As pessoas que tem maior risco são os idosos com mais de 60 anos. E se eles sofrem de alguma doença crônica complica mais ainda. É claro que vamos sair dessa e de tudo que nos acontece temos que tirar lições. Todo mundo vai tirar lições das lições que este vírus nos dá.

QUANDO?

Quando podíamos imaginar que um tal de vírus se formasse numa cidade da China, se espalhasse primeiro por lá e depois pelo mundo inteiro? O mundo hoje é uma aldeia global. Praticamente não tem nenhum país ao redor do mundo que não tem o vírus. É uma cosia de louco. Ele não mata muito. Ele mata menos que uma gripe comum. O problema é que ele contagia todo mundo. Basta uma pessoa estar infectada e tocar em outra, que o contágio já se deu. Esse é o problema. O fato de ele contagiar muito rápido. E aí as pessoas que precisam de atendimento médico ao mesmo tempo ser muito grande e o sistema de saúde não está preparado para tudo isso.

SEMANA

A semana foi de decretos das três esferas de governo, todos eles cancelando atividades, ao ponto de no fim de semana não ter ninguém nas ruas. Até a sexta e sábado ainda havia muito gente circulando pelas nossas cidades. Mas o domingo amanheceu e escureceu com ninguém praticamente circulando. Um ou outro carro circulando, mas de um modo geral as ruas estavam vazias. Isto é o que se recomenda neste momento. As pessoas não sair para a rua e ficarem na medida do possível em casa. Quem tem mais de 60 anos tem que ficar em casa mesmo, e entre eles se inclui eu. E deixar passar a crise para voltar ao normal o quanto antes. Vai dar muita quebradeira por aí. No entanto, o que importa é sair vivo dessa. O resto a gente corre atrás. Sou a favor de tomar uma medida radical como a China fez quando do início lá. Bota o exército todo na rua e ninguém sai de casa. Quanto antes isto for feito antes sairemos da epidemia. E depois cada um pode contar o que aconteceu em 2020 para os filhos e netos. E, é claro, eles não vão acreditar.