Estância Velha

Por: Isaías Reinheimer

A SOLUÇÃO PARA A RÓTULA

O transtorno no trecho da rua Presidente Lucena, em frente à Escola Germano Dauernheimer, está com os dias contados. Ontem, uma equipe envolvida para resolver aquele “deus nos acuda” decretou que até março quer ter concluída a obra, com o alargamento da pista, a instalação de tachões e tudo mais. Será a última cartada para organizar o trânsito ali. A estimativa é de que sejam investidos cerca de R$ 50 mil para fazer o trabalho, isso porque tudo será feito com mão de obra própria. Se a Prefeitura fosse terceirizar, poderíamos contar certo um custo de uns R$ 150 mil. A confusão no trecho e as deficiências das mudanças projetadas pela Prefeitura até então foram tema de tópicos abordados aqui, na terça e ontem.

COMPRA

A administração alugou um prédio de R$ 20 mil para instalar a nova Prefeitura. A proposta é centralizar o atendimento, parar de pagar aluguel de prédios, e tal. O governo garante que compensa a mudança e acredito nisso. Mas, vamos falar sério: um município como o nosso morrer pagando aluguel, sendo que poderia construir prédio próprio é dose. A prefeita Ivete Grade pensa parecido, tanto é que o governo já abriu negociação com os proprietários do prédio alugado, na rua Anita Garibaldi (próximo da Cenecista), para fazer a compra definitiva do imóvel. Aí sim! Sendo um preço justo e vantajoso ao município, é um investimento louvável.

ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA…

Leitor, complete comigo: Água mole em pedra dura, tanto bate até que… tomam vergonha na cara e fazem algo que há muito tempo já deveria ter sido feito. É, modifiquei um pouco o ditado, mas para a seguinte informação: a partir de agora, os vereadores que fizerem uso de diárias – É! Aquela verba de indenização que muitos usam para complementar o salário – obrigatoriamente terão que prestar contas dos gastos e comprová-los por meio da apresentação de notas fiscais. Além disso, o dinheiro que sobrar terá que ser, necessariamente, devolvido aos cofres públicos. Antes, praticamente, se dava um cheque em branco para que os nobres fizessem o que bem entendessem.

É UM AVANÇO

Essa questão de ter que apresentar nota dos gastos pode até ser considerada coisa pouca, mas, se tratando da Câmara de Vereadores de Estância Velha, aquela que gosta de estar envolvida na farra das diárias, é um avanço. Mas para se avançar um pouquinho que seja, foi preciso tomar muito na cabeça e ouvir alguns desaforos da população. Parece que nossos parlamentares gostam de uma dor de cabeça. Precisamos lembrar que esse mesmo projeto, com a mesma proposta, quero dizer, já esteve em discussão no ano passado. Na época, apenas Carlos Bonne, Márcia Ribeiro e Diego Francisco votaram pela aprovação dele. Os demais foram contra – com exceção de Dudu que não votou, pois era o presidente da Câmara. Curiosamente, menos de doze meses se passaram, o projeto volta à pauta e “abracadabra simsalabim”: a nova regra é aprovada por unanimidade. Convenhamos, gostam ou não de levar porrada esses vereadores? Afinal, o que mudou de um ano pra cá, para que mudassem de opinião? Se for “conscientização”, que bom. Se for “vergonha na cara”, melhor ainda.