Conecte-se conosco

Destaques

Dois Irmãos tem quatro respiradores e tenta adquirir o quinto

23/04/2020 - 09h53min

Atualizada em 23/04/2020 - 11h20min

Secretário Afonso: respirador é o suporte antes de uma internação na UTI (Cred. Melissa Costa)

Dois Irmãos – Um dos questionamentos da comunidade em meio à pandemia do coronavírus é sobre como o município está preparado para atender possíveis pacientes, principalmente em estado mais grave, quando é necessário o uso de respirador.

O secretário da Saúde, Afonso Bastian, diz que o município conta com quatro respiradores, sendo dois no hospital e outros dois no Postão 24h (Pronto Atendimento). A prefeitura também irá iniciar um processo de licitação para a aquisição do quinto equipamento. Para isso, recebeu a doação de R$ 70 mil da Cooperativa Sicredi. “O grande problema é que não existe equipamento à pronta-entrega para vender e, além disso, os valores tiveram um aumento muito expressivo. No ano passado, por exemplo, a Associação de Voluntários do hospital adquiriu um respirador por cerca de R$ 55 mil e, agora, os valores variam entre R$ 120 e 140 mil, tendo lugar chegando a R$ 190 e com entrega para seis meses”, revela o secretário.

LICITAÇÃO PARA ADQUIRIR MAIS UM 

Em razão ao alto valor, o quinto deverá ser adquirido por licitação, que tende a ocorrer com valores reduzidos. “A situação hoje está sob controle, mas não sabemos como será o amanhã. Se chegar ao ponto mais crítico, vamos ter que pagar o que estão pedindo”. No entanto, Afonso explica como ocorrerá se aumentar casos de pacientes do covid-19 necessitando do respirador. O equipamento pode ser utilizado por até três ou quatro dias, depois o paciente necessita ir para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Como somos um município sem leitos de UTI, assim que entrar o primeiro paciente nessas condições, já vamos entrar em contato com a regulação e solicitar um leito, que pode ser liberado qualquer cidade com vaga de UTI. Nossa referência é a grande Porto Alegre, mas nestes casos, vamos para onde existir a vaga. O mesmo padrão será adotado entrando mais pacientes, tudo prevendo o pior e tentado antecipar a vaga na UTI”, explica ele.

RESPIRADOR TAMBÉM É UTILIZADOS POR OUTRAS VÍTIMAS EM ESTADO GRAVE ANTES DE IR À UTI

Segundo Afonso, atualmente Porto Alegre está com 70% dos leitos de UTI ocupados e cerca de 10% em Novo Hamburgo. “Os municípios estão com taxas de lotação diferentes. Vale ressaltar que o respirador também é utilizado em pacientes que sofreram AVC ou até mesmo foram vítimas graves de acidente de trânsito. Eles costumam ficar no respirador até a transferência para uma UTI. Na demanda atual, os quatro comportam as necessidades, mas no preocupa o futuro”.