Conecte-se conosco

Colunistas

É Vossa Senhoria não sei o que, Vossa Senhoria não sei das quantas, e por aí vai

14/02/2019 - 11h00min

Atualizada em 14/02/2019 - 15h30min

Aí assume a presidência da Câmara de Vereadores, a vereadora Veridiana Monteiro, porque, né, o País tá em um momento de evolução, de implantar a nova política, essa coisa toda. Então, Veridiana decide implementar uma nova regra para o bem da cidade, pela moralidade na “casa do povo” e passa a usar o termo Vossa Senhoria. É Vossa Senhoria não sei o que, Vossa Senhoria não sei das quantas, e por aí vai. Que coisa mais cafona e ultrapassada. Parece aquelas encheções de linguiça para dizer que é diferente e tal. Esse papo de Vossa Senhoria talvez tenha valor lá por Brasília, onde está instalado do Parque dos Dinossauro da política brasileira, não no quintal da nossa casa.

VOSSA SENHORIA NÃO TÁ COM NADA

Aliás, nem lá em Brasília os políticos não estão mais tolerando esse papo. O termo não tá com nada! Quer ver: um dos primeiros projetos apresentados pelos novos deputados federais – tanto que é o projeto nº 4/2019 -, dispensa do uso do termo Vossa Excelência (que é, no frigir dos ovos, a mesma coisa que Vossa Senhoria – é tipo trocar seis por meia-dúzia) para detentores de cargos públicos. O projeto é da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e foi protocolado agora, dia 4 de fevereiro. Mais: já se discutia o assunto, desde 2017. Em setembro daquele ano, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) apresentou o projeto (Projeto de Lei nº 332/2017, pra quem quiser pesquisar) para acabar com o “Vossa Excelência” e todos os outros pronomes de tratamento direcionados às autoridades, com exceção das palavras “senhor” e “senhora”.

CORONELISMO

E não adianta vir com o papo de que a lei determina o uso do termo, que é questão de respeito, coisa e tal. Ninguém está falando em faltar com respeito ou coisa do tipo. Dito isso, ainda não é o suficiente para perceber o quão ultrapassado e os traços de coronelismo há por trás dessa nova regra implantada na Câmara? Pois bem, Vossa Senhoria Presidente da Câmara de Vereadores de Estância Velha, vou me esforçar mais um pouco e quando tiver novos argumentos trago-os aqui.

PISO PARA PROFESSORES

A prefeita Ivete Grade anunciou que pagará, a partir de março, o piso nacional aos professores, algo que o ex-prefeito Waldir Dilkin já havia anunciado e não conseguiu cumprir. Que bonito, que bom, que oba-oba. Um parêntese: o projeto dos professores ainda não é um assunto consolidado, dependerá de aprovação dos vereadores. Mais um parêntese: e de lembrar que o ex-governador do RS, José Ivo Sartori, que é do mesmo partido da prefeita Ivete, mandou os professores procurarem piso na Tumelero… Enfim, voltando ao raciocínio. Mesmo que não se tenha nada definido, podemos dizer que se a prefeita Ivete não fez um bom planejamento dessa decisão e, principalmente, não costurou o assunto com os outros setores da administração, mal sabe ela onde está se metendo. Desde o momento que o assunto foi tornado público, outros funcionários públicos já começaram a se mobilizar para pressionar a prefeita por uma reclassificação. Aí, meus amigos, o rojão estoura. Não se tem dinheiro para comprar nem uma agulha, imagina fazer reclassificação salarial dos servidores. Se Ivete fizer algo desse tipo, será irresponsável sob o ponto de vista econômico e afundará Estância Velha num buraco sem fundo.