Bolsonaro diz que não há economia de energia com horário de verão (Créditos: Fátima Meira/Futura Press/Folhapress)

O presidente Jair Bolsonaro assinou, nesta quinta-feira (25), o decreto que acaba com o horário de verão no Brasil. A assinatura do documento ocorreu durante cerimônia no Palácio do Planalto.

A decisão de acabar com o horário de verão havia sido anunciada pelo presidente em conversa com jornalistas no começo de abril. Em postagem nas redes sociais, Bolsonaro argumentou que estudos apontam que não há benefícios em adiantar o relógio em uma hora.

“Após estudos técnicos que apontam para a eliminação dos benefícios por conta de fatores como iluminação mais eficiente, evolução das posses, aumento do consumo de energia e mudança de hábitos da população, decidimos que não haverá Horário de Verão na temporada 2019/2020”, escreveu na ocasião.

O horário de verão foi adotado pela primeira vez no país no fim de 1931, com a finalidade de economizar energia elétrica nos meses mais quentes do ano. Foi aplicado sem interrupção nos últimos últimos 35 anos. Pesquisas mostram, no entanto, que a eficiência na economia de energia vem caindo ano após ano. Um estudo divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), considerou nula a economia de energia durante o horário de verão 2017/2018.

Segundo alguns especialistas, a queda dos índices de economia de energia acontecem pela mudança de comportamento do brasileiro. As pessoas atualmente têm jornadas de trabalhos diferentes, saem de casa mais tarde e utilizam mais o ar condicionado durante o dia, quando as temperaturas estão elevadas.

Fonte: GaúchaZH