Foi preso nesta segunda-feira (20), José Carlos da Silva, 46 anos, condenado a 13 anos de prisão por matar e esquartejar o metalúrgico Joacir Toledo da Silva, há 15 anos.

Em junho de 2004, José foi autor de um dos assassinatos mais cruéis da história de Caxias do Sul e região. Na época com 31 anos, ele matou a marteladas e esquartejou o metalúrgico Joacir, de 28 anos, com quem dividia moradia no bairro Universitário.

Após cometer o crime, Silva fugiu para Feira de Santana (BA), onde confessou o assassinato e chegou a ser preso e encaminhado de volta a Caxias, onde respondeu o processo em liberdade. No ano de 2012 ele foi a julgamento, sendo condenado à revelia após não comparecer ao tribunal. Em 2016, sem mais informações do indivíduo, a Justiça expediu um mandado de prisão em seu nome.

E foi através desse mandado que os policiais da Delegacia da Polícia Federal de Santana do Livramento, na Fronteira, conseguiram finalmente conter o assassino, após o mesmo procurar a Delegacia para expedir uma certidão. Ao consultar os documentos do homem, a polícia localizou o mandado de prisão emitido em 2016, e prendeu o foragido. Silva foi encaminhado para o presídio do município, mas deve ser transferido para Caxias do Sul até o final da semana.

Até hoje a motivação para o homicídio não foi esclarecida. Na época, Silva alegou ter agido em legítima defesa, ao mesmo tempo em que contou ter esquartejado Toledo, deixando seus braços e pernas na casa onde moravam e o restante do corpo em um matagal.

Hoje, José Carlos da Silva deve cumprir apenas 1/6 de sua pena, ou seja, apenas dois anos e dois meses e depois deve ir para prisão domiciliar. Mais tarde, com 1/3 da pena cumprida, ele deve ter o direito a liberdade condicional.

Fonte: Leouve