Homens são suspeitos de invadir terminal de cargas do Aeroporto de Porto Alegre e roubar carregamento de celulares — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma operação da Polícia Civil prendeu na manhã desta sexta-feira (26) cinco homens por suspeita de envolvimento com o roubo de cargas do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre. De acordo com o delegado Sander Cajal, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), duas prisões foram em flagrante por receptação e outras três são prisões temporárias com mandados expedidos.

Um dos presos em flagrante foi o motorista da van da transportadora, que teria sido obrigado a liberar o acesso aos bandidos. Ele é suspeito de envolvimento no crime.

No total, a operação cumpre 14 mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária em Porto Alegre, Canoas, Gravataí, Alvorada, Guaíba, Viamão e Campo Bom.

O crime aconteceu na madrugada do dia 26 de fevereiro, quando uma quadrilha invadiu o terminal para roubar um carregamento de celulares. Cerca de três mil celulares foram roubados, segundo a polícia, que atualizou o número divulgado inicialmente.

Para conseguir entrar no aeroporto, os seis suspeitos teriam rendido, em casa, o dono de uma transportadora que presta serviço ao aeroporto e obrigado o empresário a chamar o motorista da van, cadastrado para entrar no local.

De acordo com o delegado Alexandre Fleck, responsável pela investigação, uma das buscas feitas pela polícia na manhã desta sexta-feira foi na residência do motorista da van da transportadora, que passou a ser suspeito. Ele foi preso em flagrante porque estava fazendo uso pessoal de um dos celulares roubados no terminal.

Também foram encontradas na casa do motorista quatro caixas de papelão com etiquetas da empresa que foi roubada e que eram destinadas a empresas de varejo. A polícia vai investigar se esse material também teria sido objeto de roubo.

A participação do dono da transportadora, cuja residência também foi alvo de buscas, não é descartada, mas, segundo o delegado, ainda não há indícios contra ele. Existe a suspeita de que o proprietário tenha combinado o depoimento com o motorista, já que as versões eram parecidas. A versão do motorista, no entanto, se mostrou mentirosa, segundo o delegado.

De acordo com a investigação, os suspeitos presos fazem parte de uma quadrilha especializada em roubos de cargas de celulares.

No mesmo dia do roubo, o carro usado pela quadrilha foi encontrado incendiado em Alvorada e uma mulher foi presa, na Zona Norte da Capital, com cerca de 300 celulares, que, conforme a polícia, eram da carga roubada.

Fonte: G1