(Créditos: divulgação)

Região – Cerca de 70% dos trabalhadores das unidades dos Correios que compreendem os vales do Caí, Sinos e Paranhana estão parados nesta quarta-feira, 11. A afirmação é do diretor da subsede de Novo Hamburgo do sindicato da categoria (Sintect RS), Luis Carlos Vieira. Ele avalia como “ótima” a adesão dos profissionais.

A subsede representa 71 agências e cerca de 900 trabalhadores. Ou seja, por volta de 630 estão parados nesta terça. Questionado sobre o fato de haver agências abertas na região da Encosta da Serra, Vieira disse que o processo de distribuição de cartas e encomendas está completamente parado. “Poderia ser ainda melhor se os atendentes também participassem. Gostaríamos que houvesse adesão total”, comentou ele.

Alguns trabalhadores foram a Porto Alegre participar de uma mobilização. “Estávamos em estado de greve desde o dia 30 de julho, quando fizemos uma assembleia, e negociamos desde esta época com a empresa. Fizemos calendário de negociação, em junho foi para o Tribunal Superior do Trabalho (TST), que intermediou o processo”, conforme ele.

O TST pediu prorrogações do atual acordo coletivo, porém, como não houve acordo, uma última assembleia na terça-feira, 10, decidiu pela greve. “Não queríamos que chegasse neste ponto. A paralisação é por tempo indeterminado. Houve retirada de direitos”, assinalou Vieira.

Mais cedo nesta manhã, houve concentração dos trabalhadores em cada subsede, entre elas Novo Hamburgo. Amanhã, o diretor do Sintect RS afirma que haverá nova mobilização, a partir das 8h, em frente ao Centro de Distribuição dos Correios no município, que fica na BR-116.