Compensação dos dias de greve serão definidos pelas comarcas (Foto: Sandra Costa)

Estado – Em Assembleia Geral, realizada na quinta-feira, 14, servidores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, decidiram retomar atividades na próxima segunda-feira, 18. O Sindicato afirma que as reivindicações foram atendidas e servidores aceitaram retornar ao trabalho após 52 dias de paralisação.

De acordo com o Sindicato dos Servidores da Justiça (Sindjus-RS), após negociação com a presidência do TJ-RS, as reivindicações da categoria foram atendidas. Entre as propostas aceitas, estão, a criação de um grupo de trabalho para debater a valorização das carreiras, a agilidade na tramitação administrativa dos pedidos de aumento do auxílio-condução para oficiais de justiça, e votação do pedido de equiparação do auxílio-refeição em Órgão Especial ainda em 2019.

O Projeto de Lei que extingue os cargos de oficial escrevente do quadro funcional do TJ-RS e cria em substituição o cargo de técnico judiciário foi rejeitado por 44 votos a 2. Segundo o sindicato, mais de 3,5 mil servidores, que ocupam este cargo atualmente, poderiam ficar num “limbo funcional após a extinção”.

O esquema de compensação dos dias de greve será definido pelas direções das comarcas em acordo com os trabalhadores, sem prazo final estabelecido. Ainda conforme o sindicato, os salários que foram descontados serão devolvidos em folha suplementar no dia 10 de dezembro para os servidores que realizarem a compensação.