Pavimento termina no chão batido na principal rua do loteamento (Créd. Felipe Faleiro)

Lindolfo Collor – Moradores do Loteamento Petry estão incomodados com a suspensão nas obras de pavimentação da rua Reinaldo Frederico Petry. Se, antes, havia a colocação dos bloquetos de concreto em um trecho de cerca de 500 metros da via, há duas semanas os trabalhos cessaram sem haver conclusão.

Conforme os habitantes do local, a obra começou há três meses, com a colocação das pedras a partir do final da rua. A previsão, porém, era que houvesse o término. Grande parte da via, a única que dá acesso às áreas como 48 Baixa e Centro, já tem o mesmo tipo de pavimento, porém, entre ambos, há chão batido.

Após o calçamento será feito o aterro lateral e o conserto das calçadas. “A Prefeitura nos deixou claro que 40% do custo será cobrado dos moradores. Estamos felizes que haja andamento na obra, mas tristes por nos deixarem sem informações”, afirma o empresário Ismael Hanauer, que vive com a esposa Marcieli há cinco anos no local.

Eles ainda afirmam observar se haverá a solução pretendida quando o loteamento foi aberto. Segundo Ismael, nos papéis entregues aos moradores está previsto a instalação de calçada e saneamento básico.

A desempregada Vera Gulart tem opinião parecida com a dos demais moradores. Ela, contudo, considera positivo que algum trabalho de melhoria esteja sendo feito na via. “Graças a Deus estão fazendo algo aqui”, comenta Vera.

O que diz a Prefeitura

O prefeito Wiliam Winck diz que a obra não foi paralisada, porém, outros pontos do município também precisaram receber obras, como consertos e instalação de sinalizações. A rua Reinaldo Frederico Petry, segundo ele, está 40% executada. Falta ainda a compactação da terra com rolo e a colocação dos bloquetos. “A obra no Petry vai ser retomada na semana que vem”, promete Wiliam.