Construção antiga pode ser apreciada em um jardim repleto de plátanos (créditos: Francis Jonas Limberger)

O Arroio Pirajá ainda faz girar a grande roda d’água do antigo moinho e da serraria da família de Claudio Hillebrand, situado entre Linha Imperial e Linha Brasil. Mas agora, em vez de grãos moídos e tábuas serradas, o resultado é a admiração e o aprendizado dos turistas que visitam o lugar.

Isso porque, após quase cem anos operando e outros 30 de abandono, a estrutura foi transforada em um atrativo turístico. Há dez anos, vem recebendo visitantes e contando capítulos importantes da vida dos imigrantes que colonizaram a região.

Wenzel Hillebrand, irmão do bisavô de Claudio, construiu o moinho e a serraria em 1878. O sobrinho José, avô de Claudio, assumiu o empreendimento em 1910. Vinte anos depois, assume Emilio Hillebrand, filho de José e pai de Claudio.

Além de ver o funcionamento das máquinas principais do moinho e da serraria, o visitante pode conhecer a engenhosidade de uma série de equipamentos e ferramentas antigas. Entre elas, um mini guindaste de madeira cuja alavanca permitia a uma única pessoa erguer os pesados troncos das árvores recém-cortadas.

A própria roda d’água é um grande atrativo, podendo ser apreciada a partir de um jardim repleto de belos plátanos. Também vale a pena conferir os detalhes da construção de madeira, que ainda guarda algumas tábuas originais de 1878.

Para visitar
Mediante agendamento, o moinho e a serraria podem ser visitados em qualquer dia da semana. O ingresso individual custa R$ 10,00. Também é possível visitar o lugar através do Roteiro Rural Alemães do Sul, ao custo de R$ 50,00. Para ambos, o contato pode ser feito pelo telefone (54) 3298-8064.

Clique aqui e confirma informações sobre os demais museus de Nova Petrópolis.