Porto Alegre – Uma operação na manhã desta quarta-feira, 4, realiza mandados de busca e apreensão nos municípios de Canoas e Porto Alegre. O objetivo do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos do Rio Grande do Sul (CIRA/RS) é desarticular um grupo de empresas do ramo farmacêutico que deve cerca de R$ 150 milhões em ICMS.

O grupo é formado por Ministério Público, Receita Estadual e Procuradoria-Geral do Estado. Ao todo, os mandados são cumpridos em oito residências na capital e seis empresas em Canoas. Há suspeitas de fraude em que um grupo familiar empresarial é suspeito de crimes como sonegação de impostos e ocultação dos verdadeiros administradores do esquema.

Este grupo detém uma atacadista de medicamentos, com sede em Canoas, e empresas que distribuem remédios em todo o país. O chefe da organização seria o proprietário desta atacadista. Para praticar as fraudes tributárias, ele criava empresas no nome de familiares e laranjas.

Segundo o promotor Aureo Braga, a forma de operação do grupo empresarial transborda a sonegação, pois pratica diversas fraudes tributárias com repercussão na concorrência desleal em razão de não pagar os impostos, vendendo mercadorias abaixo dos patamares normais, impondo dificuldades para as empresas que trabalham na legalidade.

Confira fotos da operação realizada na distribuidora