Vizinha Juçara Petry é a terceira pessoa a depor pela acusação (Créditos: Twitter/TJRS)

Três Passos – Começou por volta de 9h30 desta terça-feira, 12, no Fórum de Três Passos, o segundo dia de julgamento dos quatro réus do Caso Bernardo Boldrini, com o depoimento de três testemunhas de acusação. A primeira delas é Juçara Petry, vizinha do casal Leandro Boldrini, pai de Bernardo, e Graciele Ugulini, a madrasta.

Juçara pediu para que nenhum dos réus estivesse presente, o que foi aceito pela juíza Sucilene Engler. Leandro, Graciele, e os irmãos Edelvânia, amiga de Graciele, e Evandro Wirganovicz foram retirados da sala antes do início do depoimento.

Juçara disse que Bernardo “raras vezes” tinha a chave de casa, e que o menino “insistia” em morar na casa dela. Ela ainda afirmou que “tentava fazer que ele gostasse da família dele”, mas Bernardo repreendia. Ainda conforme a vizinha, em determinada ocasião, quando um aparelho dentário estragou, a madrasta teria dito que “esse guri só incomoda”, e o pai não atendia as chamadas.

Ontem, prestaram depoimento as delegadas Caroline Bamberg e Cristiane Moura, ambas atuantes no caso e no inquérito policial contra os quatro réus, acusados de matar Bernardo e desaparecer com o corpo em 2014.

Leia também: