Os mercados globais tiveram um forte abalo nesta segunda-feira (6) após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar no domingo (5) que o país vai aumentar de 10% para 25% as tarifas sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses importados a partir de sexta-feira (10)e ameaçar elevar o alcance das tarifas.

Os investidores foram pegos de surpresa pelas ameaças de Trump, uma vez que a expectativa era de avanço nas negociações comerciais entre as duas potências. Os principais índices acionários da China mostraram sua maior queda em mais de três anos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, e o índice Xangai caíram mais de 5% cada um, registrando a maior queda em um único dia desde fevereiro de 2016. As principais bolsas asiáticas também fecharam em queda.

Na Europa, as bolsas operavam em queda de mais de 1%.

Em Nova York, os principais índices abriram em queda de mais 1%, mas as perdas foram reduzidas nas horas seguintes. Por volta das 12h, o Dow Jones caía 0,88%, enquanto o Nasdaq recuava 1% e o S&P, 0,88%.

No Brasil, o Ibovespa opera em queda de mais de 1%, acompanhando bolsas internacionais.

As novas ameaças de Trump também provocavam queda no preço de coommodities como petróleo, soja, trigo e milho.

O sentimento do mercado recebeu um pequeno impulso um pouco depois, com a China dizendo que sua delegação comercial está se preparando para ir aos Estados Unidos.

Fonte: G1