Martin e Beto podem não estar lado a lado na próxima eleição(Créditos: Ana Veiga)

Ivoti – O cenário político ficou agitado com o anúncio do vice-prefeito, Roberto Schneider (PSB). Ele afirmou que não deve concorrer nas próximas eleições. Nem como candidato a vice, nem como vereador. Vai abandonar a vida pública.

Beto alegou que é por questões pessoais. Mas deixou claro que pretende cumprir o mandato de vice até o final de 2020. Ele também deve continuar como secretário de Obras.

Na sessão da Câmara desta segunda-feira, dia 25, os vereadores ficaram sabendo pelo Diário sobre a possível desistência de Beto. Alguns deles não acreditaram na fala do vice-prefeito. “Mas de novo ele diz isso? Da outra vez, também disse que não iria”, disse um. “Ele só quer mídia”, respondeu o outro.

OPÇÕES PARA O ANO QUE VEM

Com a desistência de Beto, qual será a opção do prefeito Martin Kalkamann (PP) para o próximo ano? Quem Martin deve escolher para ser candidato a vice-prefeito, caso queira concorrer novamente? O PP pode ir de chapa pura?

Essas perguntas estão correndo pelos bastidores da política. Dentro do PP, é inegável que o partido tenha opções de candidatos a vice-prefeito como os vereadores Alexandre dos Santos (Borracheiro), Satoshi Suzuki, Cleiton Birk (Pires) e o secretário de Administração, Alcido Ratzinger. Sem mencionar os demais membros que poderiam entrar em uma eventual chapa.

As conversas nos bastidores não param. Apesar da eleição ser no próximo ano, a política ivotiense está a mil com as possibilidades de alianças que estão surgindo.