Vereadores Rejane e Marcos tentaram ligar e falar com o prefeito, que não apareceu na sexta-feira (Créditos: Ana Veiga)

Lindolfo Collor – Depois que a Justiça mandou prosseguir com o processo de cassação mandato do prefeito Wiliam Winck, a Comissão Processante continuou com os trabalhos. Na manhã desta sexta-feira, dia 18, eles tentaram intimar Winck, mas não tiveram sucesso.

A presidente Rejane Amaral e o relator Marcos Schumann chegaram por volta das 8h na Prefeitura. Esperaram por alguns minutos e foram até o gabinete. Lá, foram informados pela secretária que o prefeito estava em Porto Alegre. Rejane até tentou deixar o documento para a secretária, que se recursou a receber.

Na sequência, os vereadores foram até a entrada da Prefeitura e fizeram um protocolo. Além disso, tentaram ligar e mandar mensagens para o prefeito, mas não obtiveram sucesso. A Comissão poderá intimar o advogado dele, Vanir de Mattos.

A reportagem também tentou contato com o prefeito Wiliam e com o advogado. Mas, até o fechamento desta matéria, também não obteve retorno.

RELEMBRE ATÉ AQUI

O pedido de impeachment foi protocolado por quatro partidos: PRB, PTB, MDB e PT (partido do vice). A solicitação foi lida e aceitada pela maioria dos vereadores no dia 7 de agosto. De lá para cá, uma audiência foi realizada. A defesa entrou na Justiça para pedir a suspensão da segunda audiência e o cancelamento do processo. Obteve sucesso somente na primeira opção.

Nesta semana, a Justiça atendeu o pedido da Comissão Processante e mandou seguir com o processo. Agora, os vereadores estão tentando intimar o prefeito para comparecer na data da próxima audiência, em que ele deverá ser ouvido após as cinco testemunhas que ainda faltam.