Presidente Márcio prega cautela para votar o projeto sobre o empréstimo (Créditos: Arquivo/ODiário)

Lindolfo Collor – O empréstimo para pavimentar ruas e restaurar o Centrinho foi protocolado na Câmara no início desta semana. A intenção do Poder Executivo é que o projeto seja votado o quanto antes. Porém, o desejo pode não se tornar realidade.

Em contato com a reportagem, o presidente Márcio Cardoso (MDB) afirmou que o documento não será votado de um dia para o outro, “É uma coisa que tem que ser analisada. Não estamos votando a compra de uma galinha, é um empréstimo de R$ 3 milhões e pagar em 10 anos. Queremos audiência pública com a comunidade para ver o que acham”, disse o presidente.

NA CÂMARA 

A oposição do governo, inicialmente, é contrária ao projeto por diversas razões, que variam da forma como foi apresentado, juros e a forma de pagamento. Ela é composta por cinco vereadores: Arno Müller (MDB), Rejane Amaral (PTB), Marcos Schumann, presidente Márcio e Diogo Lopes da Silveira (PTB).

No entanto, Diogo pediu uma licença e, nas próximas sessões, deve se ausentar da cadeira no Legislativo. Quem vai assumir a vaga é Luis Granitzcki, o Luia, que era do PTB. Atualmente, ele está no PP, partido do prefeito. Além de Luia, os legisladores Alcirío Wiethauger (PP) e Gilnei Prass (PP) devem ajudar o governo na votação do empréstimo.

Com essa composição, o governo tem três votos favoráveis e a oposição tem quatro. Os dois petistas, Alcides de Quadro e Ademir Rader (Dino) estão no meio do jogo político. Como o PT rompeu com o prefeito Wiliam, o voto dos dois é incerto.