IvotiO prefeito Martin Kalkmann promete encaminhar, novamente, um pedido ao Conselho do Meio Ambiente para que libere recursos – que são públicos – para que sejam investidos na causa animal.

A ideia do prefeito é de aumentar o projeto de castração de animais no município, algo que está relacionado a um problema de saúde pública e social. 

No ano passado, conforme o prefeito, a administração havia encaminhado a demanda, mas o Conselho negou a liberação de recursos que estão trancados neste fundo, que é abastecido exclusivamente com o pagamento das multas ambientais e tem a função ser aplicado em projetos de educação ambiental, entre outros. 

Martin admite que o novo pedido será feito em consequência das reportagens do Diário, que apresentaram um diagnóstico da atuação da Secretaria do Meio Ambiente no que diz respeito à distribuição de multas ambientais aos moradores e empresas do município.

“Pedi para o secretário, após essas matérias, para que o Conselho destine um valor à causa animal. Acho bem importante, já que é uma área bem carente do município”, colocou.

Esse não foi o único projeto que o Conselho negou a liberação de recursos. “Eles têm o entendimento de que aquilo não é atribuição do Conselho e sim de que é atribuição da Prefeitura pagar.

A gente esbarra, às vezes, nesta questão”, reforça. O prefeito voltou a destacar que também deve sair do Fundo o recurso para custear a construção de um parque, em uma área pública localizada na rua São Leopoldo. 

DEFENDE EQUIPE: “MAIS ATUANTE”

Em relação ao levantamento que mostra a disparidade de multa ambientais entre Estância Velha e Ivoti, o prefeito considera que não se pode comparar um município com outro, por questões particulares.

Contudo, no mesmo momento, tratou de defender o trabalho realizado pela sua equipe. “Embora Ivoti seja menor, é um município que vejo mais atuante, talvez”, colocou.

Ele também reafirmou algo que já havia dito há duas semanas, de que Ivoti tem um alto índice de autuações ambientais pelo número de denúncia que são realizadas.

Porém, as denúncias também são os principais motivos de ação da Secretaria do Meio Ambiente em Estância Velha. 

Na última quinta-feira, o Diário mostrou que Estância Velha, apesar de ter quase o dobro da população de Ivoti, multa quase 60% menos e resolve mais de 90% dos casos de maneira amigável.

É que a política adotada em Estância tem como premissa o diálogo e a reparação do dano causado. “A multa é o nosso último recurso”, explicou a diretora de Meio Ambiente, Gisela Maria de Souza.