A Ecofest foi a primeira feira de produtos agroecológicos de Morro Reuter. (foto: Rogério Savian)

Região – As Feiras do Produtor, ou Feiras Livres, têm conquistado cada vez mais espaço e credibilidade. Seja pela diversidade de itens que têm a oferecer ou pela aproximação entre produtor e consumidor. Além disso, agrega valor ao produto porque elimina o varejista que faria essa intermediação. Os clientes que buscam esse tipo de comércio também estão preocupados em adquirir produtos fresquinhos e conhecer a sua procedência.

Polícia Civil identifica trio acusado de roubo de drones em Dois Irmãos

Há 16 anos

Morro Reuter é um dos municípios que a feira deu certo e existe desde 2003. Quando os primeiros feirantes chegaram não havia a infraestrutura de hoje. Eles vendiam seus produtos diretamente no capô do carro ou em pequenas bancas cobertas por lona. A situação melhorou quando o Sindicato dos Trabalhadores Rurais construiu um espaço coberto que abriga as bancas até hoje, junto ao escritório local da Emater. Atualmente são nove feirantes, de diversas localidades, que comercializam frutas, hortaliças, cucas, bolos, geleias, produtos à base de lavanda, entre outros. As feiras acontecem nas quartas de tarde e sábados pela manhã.

Veículo furtado de residência em Dois Irmãos é recuperado em Osório

As decisões acontecem em reuniões com a Associação dos Feirantes de Morro Reuter, que debatem os critérios de produção. O trabalho é acompanhado pela Emater através do extensionista rural, Evandro Knob. “A Feira do Produtor possibilita o que chamamos de ‘cadeia curta’, que é a venda direto do produtor para o consumidor. Ela aproxima os dois e cria um vínculo de confiança e credibilidade. Tornam-se clientes fiéis”, destaca.

Nos dias de feira Morro Reuter recebe muitos clientes de outros municípios. Segundo Evandro, mais de 50% é comercializado para moradores de Dois Irmãos, Novo Hamburgo, Ivoti, Campo Bom, São Leopoldo, Sapiranga e Santa Maria do Herval. Ele também explica que são nove feirantes, mas a atividade envolve de 30 a 40 famílias porque muitos desses feirantes comercializam a produção dos vizinhos. “Costumo dizer que a feira é uma extensão da propriedade rural. Ela objetiva vender o produto local. Diferente de uma fruteira ou mercado que muitas vezes adquire da Ceasa”.

Em Morro Reuter acontecem nas quartas e sábados no Espaço do Produtor. (foto: Tânia Goulart).

Agroecológicos

Morro Reuter também está investindo na produção agroecológica, através do Grupo de Ecoprodutores de Morro Reuter. A 1ª Ecofest, realizada no início deste mês, teve uma boa receptividade do público e, de acordo com Evandro, está sendo estudada a possibilidade de criar um dia específico para a feira de agroecológicos.

A Ecofest foi a primeira feira de produtos agroecológicos de Morro Reuter. (foto: Rogério Savian)

Feirante

O agricultor Alfredo Lehnen, morador de Linha Görgen, é um dos nove feirantes que comercializam na Feira do Produtor. Ele produz hortaliças há mais de 20 anos e conta que a feira contribuiu bastante para melhorar suas vendas. Atualmente a feira é sua principal fonte de renda.

Alfredo Lehnen é um dos feirantes de Morro Reuter. (foto: Rogério Savian)

Dois Irmãos

O município construiu o espaço Feira Livre, que conta com área coberta de 225,72m², e fica na Av. 25 de Julho, 616, ao lado da Biblioteca Pública Municipal. A obra está concluída, mas aguarda a licitação dos móveis para os feirantes colocarem seus produtos. Ainda não tem previsão de inauguração porque depende dos móveis e da adesão dos produtores rurais. Na próxima semana será lançado o edital para seleção dos interessados.

O espaço poderá ser usado por até 12 produtores ou expositores de qualquer segmento. No início é para funcionar aos sábados pela manhã e dependendo da demanda poderá ser ampliado para quarta-feira de manhã

Hoje existe a Casa do Produtor, situada junto à Praça do Imigrante, que atende aos domingos, das 10 às 18h. Estão no local o Sitio Falkoski (representando a Rota Colonial Baumschneis), Associação dos Apicultores e Núcleo Orquidófilos Dois Irmãos. São comercializados: mel, sucos, geleia, queijos, batata doce assada, caldo de cana e orquídeas.

Espaço para Feira Livre construído ao lado da Biblioteca Municipal. (foto: Rogério Savian)

Santa Maria do Herval

O município também pretende investir nesse tipo de feira e para isso construiu o Espaço Feira do Produtor, com uma área de 1.000 m². Foram cerca de R$ 300 mil (R$ 159 mil da Consulta Popular de 2017). De acordo com a prefeita Mara Stoffel, a previsão é que no dia 6 de julho aconteça a primeira feira no pavilhão novo. Interessados em participar ainda podem se inscrever na Secretaria de Agricultura. “A gente vai começar com uma feira por mês. A partir dos resultados vamos ampliando a frequência. O objetivo é valorizar os produtores e oferecer opções para a comunidade comprar. Estamos bem otimistas”.

Pavilhão Espaço Feira do Produtor de Santa Maria do Herval. (foto: Rogério Savian)