Maria Helena produz também geleias de lavanda. (foto: Rogério Savian).

Morro Reuter – Nos últimos anos o município tem incentivado o cultivo de lavanda nas propriedades rurais e com isso a planta está se popularizando. Pode ser encontrada na produção de alimentos, artesanato, sabonetes, essências, cremes, bebidas, aromatizantes, óleos, mudas em vasos, entre outros. Atualmente são 16 famílias que se dedicam ao plantio, totalizando uma área de três hectares em produção e outros dois em fase de implantação. As primeiras lavouras cultivadas já estão na quarta colheita. O clima influencia muito no desenvolvimento da planta e a destilação costuma acontecer entre os meses de março e novembro.

Festa da Lavanda

Para que a planta conquiste cada vez mais espaço o município oferece incentivos por meio de um programa de expansão da lavanda e na divulgação dos eventos realizados. O maior deles é a Festa Nacional da Lavanda, que acontece a cada dois anos, e a próxima será entre os dias 18 e 20 de outubro, no Ginásio Municipal. De acordo com o extensionista rural da Emater, Evandro Knob, o município já é considerado referência estadual para o cultivo da planta. Morro Reuter também estará representado na Expointer com estande de produtores de lavanda. Outro trabalho que vem sendo realizado é a criação de uma rota turística para melhor explorar o potencial atrativo de visitantes para conhecer as plantações de lavanda.

Extração do óleo

Para que a lavanda se transforme em essência e dê origem aos produtos conhecidos no mercado é necessário um cuidadoso trabalho. É aí que entra em ação a química Yamara Eichner, diretora da Naturoils, empresa que trabalha com a extração do óleo. Em agosto de 2016 Yamara começou o processo no município, mas ela vai completar 10 anos atuando na extração. Yamara oferece workshop para grupos sobre destilação de óleos essenciais. O próximo encontro será no dia 29 de junho, onde os participantes poderão conhecer todo o processo produtivo.

A lavanda tem efeitos terapêuticos e, além de ser rica em cânfora, que promove sensação calmante, tem propriedades bactericidas e fungicidas. O óleo é o único que pode ser aplicado sobre a pele. A Naturoils desenvolve linhas de produtos e possui registro da marca Lavanda do Morro Reuter, que é um produto comercial, de prateleiras. Mais informações podem ser obtidas diretamente na empresa, que fica na BR-116, em frente ao acesso para Santa Maria do Herval.

Yamara Eichner, diretora da Naturoils. (foto: Rogério Savian)

Loja Lavanderthal

No início desse mês o casal Antônio Augusto e Edi Girardi inauguraram a loja Lavanderthal, voltada ao segmento de lavandas, na BR-116, próximo ao pórtico. O projeto Lavanderthal teve início há três anos com o cultivo da planta na localidade do Batatenthal. São oferecidos produtos à base de lavanda voltados para a aromaterapia, entre eles almofadas para amenizar os sintomas da cólica, sabonetes, aromatizantes de ambiente, sachês, óleos, velas, mudas, entre outros.

A 1ª extração de hidrolato produzido com as lavandas deles aconteceu em maio desse ano. “O que valoriza um derivado da lavanda pela extração é a quantidade de componentes medicinais e perfume nele encontrados”. Os proprietários estão em busca da certificação orgânica para o ano que vem pelo Rama. O atendimento é aos sábados, domingos e feriados.

Edi e Antônio Augusto, proprietários da loja Lavanderthal. (foto: Rogério Savian)

Biscoitos e lavandário

O agricultor Ernani Heylmann é o proprietário do maior lavandário do município, que recebe muitos visitantes. Ele viu no turismo rural uma oportunidade de investimento e está fazendo sucesso. Mas além da visitação, Ernani também produz biscoitos de lavanda e comercializa para muitos clientes da região. O novo sabor já caiu no gosto dos clientes e está sendo bastante procurado nas festas da lavanda, feiras e por encomenda.

Ernani e seus biscoitos de lavanda. (foto: Melissa Costa)

Turismo rural

Na localidade de Batatenthal, Toni Henrique Pilatti, junto com a esposa Isabel, está investindo no turismo rural e para isso decidiu plantar uma área com 1.200 pés de lavanda em sua propriedade rural. O casal optou em construir um lavandário para ter mais um atrativo para os visitantes do Café Colonial e também o Capril. “Nosso objetivo é conciliar a parte rural com o café colonial”, destaca Toni.

Evandro orienta Toni no cultivo de lavanda. (foto: Rogério Savian)

Spritzbier

A agricultora Elga Klauck Wingert, de Walachai, produz spritzbier de lavanda, além do chá seco para cheiro. Seus produtos podem ser adquiridos na Feira do Produtor que acontece ao lado da Emater, no Centro. Ela participa desde a primeira Festa da Lavanda. “Gosto muito de trabalhar com lavanda. É mais uma fonte de renda da família”.

Elga produz spritzbier de lavanda.

Geleias

Maria Helena Link, de Picada São Paulo, já produz vários produtos à base de lavanda. Entre eles estão bolachas, biscoitos doces, salgados e geleias. A aceitação do público está sendo muito boa porque é um produto novo e todos querem experimentar.

Maria Helena produz também geleias de lavanda. (foto: Rogério Savian).