Lucas foi atropelado em janeiro de 2017 na ERS-235. Motorista fugiu sem prestar socorro (Foto: Arquivo pessoal)

Nova Petrópolis – “Raiva e indignação: não houve uma pena”, desabafou Márcia Jaqueline Castro, mãe do menino Lucas Castro Marin, que foi morto atropelado por um caminhão em janeiro de 2017.

A sentença dada pela Justiça, que condena o condutor do caminhão Claudiomir Rosa dos Santos Júnior, foi de quatro anos e seis meses em regime semiaberto. Além disso, o réu poderá recorrer em liberdade.

“Isso não é uma pena, não houve justiça. Ele está lá, com a família dele. A minha ficou destruída”, diz a mãe que perdeu seu filho único.

Confira a reportagem completa na edição do Diário desta terça-feira, 10 de setembro.