Conecte-se conosco

Estado - País - Mundo

Governo gaúcho pede suspensão de dívidas com bancos internacionais

24/03/2020 - 15h58min

Atualizada em 24/03/2020 - 16h05min

Estado – No início da tarde desta terça-feira, 24, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, declarou que o Estado articula junto com a União a ampliação de medidas econômicas para conter os efeitos da crise causada pelo coronavírus. Durante vídeoconferência com o presidente Jair Bolsonaro, Leite solicitou a suspensão de pagamento de precatórios e das parcelas de dívidas com bancos internacionais, além de repasses de tributos, como a Programação Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). De acordo com o chefe do governo gaúcho, tais recursos seriam destinados para ações de saúde.

Em coletiva virtual realizada ainda durante a tarde, Eduardo Leite declarou. “As nossas demandas na área econômica foram feitas porque o estado do Rio Grande do Sul, assim como Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás, já não pagam a dívida com a União. Seja porque já aderiram ao regime de Recuperação Fiscal, seja por força das liminares que foram conquistadas junto ao STF. Então, o que foi anunciado pela União pouco atende os estados que já se encontram em dificuldade financeira. Será necessária a ampliação dessas medidas”, disse Leite.

TESTES RÁPIDOS

Além disso, o executivo gaúcho ainda declarou que deseja adquirir, em breve, de 50 a 100 mil testes rápidos da Covid-19, buscando agilizar os trabalhos para conter a doença. “Estamos nos organizando para a aquisição destes testes. Eles seriam usados em servidores da saúde e servidores das áreas essenciais. São testes para acompanhar a evolução do vírus, claro, com a parceria do ministério da Saúde. Estamos em contato com universidades e, possivelmente, a Universidade de Pelotas, que tem uma equipe de referência para coordenar este esforço”, destacou em coletiva.