Conecte-se conosco

Destaques

Hospital de Novo Hamburgo demite mais de 100 funcionários

20/04/2020 - 20h35min

Atualizada em 21/04/2020 - 09h28min

Novo Hamburgo – O Hospital Regina demitiu funcionários nesta segunda-feira. As demissões têm relação com a crise econômica ocasionada pelo coronavírus.

Apesar de o Estado e a região terem casos confirmados de COVID-19, inclusive com mortes em decorrência da doença, as demissões estão relacionadas a suspensão das cirurgias neste período.

Por enquanto, a direção do hospital não se posicionou oficialmente, tampouco confirmou o número exato de funcionários que foram cortados. A assessoria de imprensa prometeu divulgar uma nota ainda hoje, o que não aconteceu até o momento.

Entretanto, são mais de 100 profissionais desligados, conforme o Diário apurou.

Os médicos plantonistas, que são contratados pelo hospital, também sofrem as consequências da crise. Eles tiveram os salários reduzidos.

O Hospital Regina atende casos de pacientes com suspeita de coronavírus e até mesmo têm pacientes internados com suspeita da doença. Até às 16 horas desta segunda-feira, conforme boletim diário, havia três pacientes com suspeitas de estarem infectados pelo COVID-19 internados. Além disso, desde o início do surto no Estado, o hospital confirmou oito casos, sendo que um destes pacientes veio a óbito.

O Hospital Regina é administrado pela Associação Congregação das Irmãs de Santa Catarina, entidade filantrópica e mantenedora de outros dois hospitais, inclusive o Hospital São José, situado em Ivoti. Em Ivoti, contudo, não há previsão de demissões por enquanto.

Além dos hospitais, a Congregação de Santa Catarina administra cinco instituições de ensino e duas unidades de Assistência Social.

O Diário procurou a prefeita Fátima Daudt, entretanto, por meio da assessoria, ela disse que não iria se posicionar, pelo menos, neste momento.