Conecte-se conosco

Destaques

Ivoti tenta retomar rotina em meio ao Coronavírus

24/03/2020 - 09h27min

Atualizada em 24/03/2020 - 14h43min

Ruas com pouca movimentação, filas com espaçamento de clientes: a nova rotina de Ivoti após o decreto (Créd. Alex Günther)

Ivoti – A rotina da região foi transformada pelo surto de Coronavírus. Após a emissão dos decretos que limitam a circulação dos moradores nas ruas, os municípios entraram neste início de semana buscando se adaptar a um novo conceito de “dia útil”, com praticamente todo o comércio fechado e alguns serviços de assistência e atendimento suspensos.

Garantidos apenas os serviços de primeira necessidade como farmácias, supermercados, bancos e restaurantes. E estes, começaram a semana tendo de se reinventar para garantir a todos atendimento de qualidade, sem que isso possa levar riscos em meio ao surto da doença.

Paciência e respeito nos mercados

O serviço mais procurado pela população é o dos supermercados. Nas grandes redes já foi possível observar um novo cenário de atendimento com limitação de consumidores dentro das dependências, filas com espaços entre clientes, além de horário especial para a terceira idade.

Pedro Schneider, proprietário do Super Ivoti, destacou que o movimento nesta segunda-feira foi considerado normal para o dia, mas fez ressalvas quanto o final de semana que passou. “Sexta e sábado foi uma loucura. As pessoas realmente vinham com a intenção de estocar alimentos e itens de higiene. Já no domingo, ocorreu uma queda brusca. Tivemos somente 50% do movimento considerado normal”, afirmou o empresário, projetando que este cenário deve permanecer ao longo da semana.

No Supermercado Ivoti, placas orientam clientes a manterem distância (Créd. Alex Günther)

Outro fato que chamou atenção de Schneider, foi a vinda de famílias inteiras para fazer as compras. “Em momentos como este, venham sozinhos. Não tragam seus filhos e parentes. É para a segurança deles e de todos”. Além dos avisos nos mercados sobre a lotação do espaço, que só pode receber 50% da sua capacidade, e do distanciamento de um metro de cliente para cliente na formação das filas, as redes também informam que entre às 7h30 e 8h30, a faixa de horário é destinada para atendimento aos idosos. Os mercados também estudam alterar o horário de atendimento, fechando às 19 horas já a partir desta semana.

Comida para todos

Outra rotina alterada dos moradores se refere a alimentação fora de casa. Respeitando o decreto municipal, os restaurantes e lanchonetes podem seguir comercializando alimento, mas somente para a entrega em domicílio ou diretamente ao consumidor na entrada.

Tudo para evitar aglomeração em ambientes fechados. E um destes exemplos foi o Restaurante Tropical da Av. Presidente Lucena, que colocou um cartaz na fachada informando os pratos e preços do dia, e um balcão improvisado na entrada, por onde o proprietário Darci Feilstrecker está atendendo a todos.

Ele destaca que a medida foi elogiada pelos moradores e que o movimento no primeiro dia, no novo sistema, foi satisfatório. “Já apareceu vários clientes dizendo que salvamos o almoço deles, porque boa parte dos estabelecimentos estão fechados. É a forma que encontramos de ajudar a todos e de maneira segura”, comentou.

No interior do restaurante, equipe reduzida e trabalhando em revezamento, todos adotando medidas sanitárias. “Me baseei em modelos exercidos na Europa com relação a este tipo de serviço durante o surto da doença”, finaliza Feilstrecker.

Em restaurante do Centro, empresário busca formas de prestar atendimento aos seus clientes (Créd. Alex Günther)

Pagando contas com segurança

Atendimentos diferenciados em bancos e na lotérica também. Durante o meio-dia, horário que geralmente tem o maior pico de clientes, as filas eram formadas na calçada, respeitando o limite de espaço. No interior das agências, o fluxo era controlado e limitado.

Na lotérica, por exemplo, somente quem estava em atendimento nos caixas permaneciam no interior do local. Já nos bancos, a mesma medida, com funcionários auxiliando os clientes nos caixas eletrônicos, a fim de agilizar a estada dos moradores no saguão. Sobre as mesas para preenchimento de formulários e documentos, álcool gel à disposição de todos.

No Banrisul, a gerente Luciane Sippel relembrou que o movimento na agência na última sexta-feira foi completamente fora dos padrões, com uma circulação acima do esperado para o dia. Já na segunda-feira, o fluxo de clientes foi considerado baixo. “Estamos atendendo no interior da agência um cliente por vez. Orientamos também para que todos façam uso das nossas plataformas digitais, para evitar vir à agência sem necessidade”, comentou.

“A maioria entendeu o alerta”

O ivotiense entendeu a necessidade de se resguardar neste período. Esta é a análise do prefeito Martin Kalkmann, que considera que 80% da população está seguindo à risca as indicações do decreto municipal. “Claro que cada caso deve ser tratado isoladamente. Tem pessoas que precisam trabalhar, recorrer a atendimento médico e ir nos supermercados. Mas está claro que a população aos poucos está mudando seus hábitos”, apontou.

Martin destaca que a Prefeitura segue trabalhando na conscientização e orientação aos moradores. “Estamos acompanhando através da fiscalização junto ao comércio, mas de modo geral, não enfrentamos problemas neste início de semana”, finalizou.

Confira mais notícias sobre o Covid-19: