Caio em ação contra o Peñarol, na final da Libertadores 1983

Morreu, no início da tarde desta terça-feira (12), o ex-atacante Caio, 63 anos, campeão da América e do mundo pelo Grêmio em 1983.

Autor do primeiro gol na final da Libertadores daquele ano, contra o Peñarol, ele estava internado há um mês e meio no Hospital Universitário de São Luís, no Maranhão, e não resistiu a problemas decorrentes de uma trombose.

O ex-jogador chegou a ter as duas pernas amputadas por conta da trombose. No ano passado, Caio foi um dos homenageados no gramado da Arena antes de Grêmio x Corinthians, pelo Brasileirão, por conta do aniversário de 35 anos da conquista do Mundial de Clubes.

O Grêmio divulgouuma nota e lamentou a morte do ex-jogador:

“Faleceu na manhã desta terça-feira, aos 63 anos, o ex-atacante Caio, autor do primeiro gol do Grêmio na decisão a Copa Libertadores da América de 1983, na vitória de 2 a 1 contra o Peñarol, no Olímpico. O ídolo morava em São Luís, no Maranhão, e sofria com problemas de saúde como a trombose.

Luiz Carlos Tavares Franco nasceu no Rio de Janeiro, no dia 16 de março de 1955. Começou a carreira na base do Madureira, mas se profissionalizou pelo Botafogo. Chegou ao Grêmio em 1983 e ficou por duas temporadas. Teve participação fundamental na conquista da Copa Libertadores de 1983, marcando 4 gols, inclusive o primeiro da decisão contra o Peñarol. Jogou também a final do Mundial, em Tóquio, entrando na segunda etapa.

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense lamenta com enorme pesar a perda de Caio, que ajudou a elevar ainda mais o nome do Grêmio, e se solidariza com os seus familiares, amigos e toda torcida gremista.”