Conecte-se conosco

Coluna Nova Petrópolis

Os vereadores de Nova Petrópolis cumpriram o seu papel

20/05/2020 - 09h46min

Acabaram rejeitados os projetos de lei do reajuste de 2% de salário e aumento de 25% (R$ 141,00) no vale-alimentação do funcionalismo municipal. Placar de 7 a 3, inclusive com votos de vereadores que geralmente acompanham o governo. O mais correto seria nem cogitar esse tipo de proposta num momento como o atual. Mas como os projetos foram apresentados, coube aos vereadores colocar as coisas no seu devido lugar. E não tem nada demais nisso, pois os 11 foram eleitos e são pagos para tomar decisões corretas, caso destes projetos rejeitados.

DESMOBILIZAÇÃO
De parte do funcionalismo, houve visível desmobilização nestes últimos dias antes da votação. Não foram poucos os que se posicionaram contra o reajuste, dizendo que acham melhor retomar essa discussão quando a crise tiver passado. Os que ainda seguiram favoráveis aos projetos acabaram se silenciando diante da repercussão negativa nas ruas e nas redes sociais.

O PIOR JÁ PASSOU?
O secretário da Fazenda, Claus Altevogt, participou da sessão e fez a leitura econômica mais otimista que eu já vi desde o início da pandemia. Ele reconhece que “parou muita coisa” e que já houve impactos na arrecadação. Isso deve ser compensado pelo socorro do governo federal, no qual estão previstos em torno de R$ 3 milhões para Nova Petrópolis. Especificamente sobre a queda na arrecadação, Claus opina que a situação de baixa não se repetirá, a menos que sejam necessárias novas medidas de isolamento social, como aconteceu no fim de março/início de abril. Ou seja, para o secretário a crise mal e mal será sentida pela Fazenda Municipal. E aí estão explicadas algumas decisões recentes do governo, como propostas de reajustes e ampliação de benefícios para o funcionalismo e a efetivação de um empréstimo milionário.

15 DE MARÇO DE 2020
Seria ótimo se o pior da crise realmente já tivesse passado. Mas a verdade é que ainda é cedo para se avaliar o tamanho do estrago. Como bem lembrou o vereador Nei Schneider (PSDB), os acontecimentos na iniciativa privada seguem indicando uma situação de agravamento da crise. Quem garante que não haverá novas demissões e fechamento de empresas em Nova Petrópolis? E é da iniciativa privada que vem o dinheiro da arrecadação municipal, é bom lembrar. Depois que a roda da economia voltar a girar, ainda será necessário um tempo considerável para que tudo volte a ser minimamente parecido com 15 de março de 2020. Até lá, o mínimo que se espera dos governos é cautela.

REAQUECER A ECONOMIA
Um aumento de R$ 141 no vale-alimentação geraria uma despesa adicional de aproximadamente R$ 97 mil por mês. Informalmente, o governo alegava que esse incremento seria uma maneira de ajudar a reaquecer a economia local, visto que o funcionalismo gastaria o dinheiro nos estabelecimentos da cidade. Com a rejeição na Câmara, isso não acontecerá. Mas agora o governo tem a oportunidade de demostrar que realmente tinha condições de assumir o compromisso mensal de R$ 97 mil. Basta que crie alguma outra maneira para injetar recursos públicos e reaquecer a economia local. Ela segue precisando.

Por Francis Jonas Limberger
[email protected]
WhatsApp: (51) 99888-1830

LEIA OUTRAS COLUNAS RECENTES DE NOVA PETRÓPOLIS

Nova Petrópolis começa a planejar o Natal 2020

Testes rápidos e o primeiro caso de coronavírus em Nova Petrópolis

A nova promessa da Corsan, com prazo até o verão