Violência doméstica foi pauta de evento (Cred. Melissa Costa)

Dois Irmãos – Nesta quinta-feira, dia 5, na Sociedade Santa Cecília, aconteceu um evento alusivo aos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher. A programação contou com roda de conversa com autoridades e palestra sobre a Lei Maria da Penha, ministrada pela tenente coronel da Brigada Militar, Nádia Gerhard. Um dos dados que mais impressionou, foram os números de violência doméstica apresentada pela Delegacia de Polícia. Neste ano, de janeiro a novembro, foram registradas 177 ocorrências de violência física, psicológica ou ameaça contra mulher. Ou seja, o município está, em média, com um caso a cada dois dias. Este número é superior ao do ano passado, quando em todo ano, foram registradas 126 ocorrências – média era de um caso a cada três dias.

CASOS SÃO TRATADOS COMO URGENTES

A delegada Ariadne Langanke e o comandante da Brigada Militar, tenente Elton Dhein, reforçaram que atendimentos de ocorrência baseadas na Lei Maria da Penha têm um atendimento diferenciado. “Todos os nossos policiais estão orientamos e capacitados para atender estes casos. As ocorrências de violência doméstica tem um atendimento diferenciado e mais ágil. Todos os casos que chegam até nós, logo são registrados e encaminhados ao Judiciário. É tudo mais ágil, com a finalidade de pensar primeiro na proteção”, disse a delegada.

A ação de ontem foi promovida pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, coordenadoria da Mulher de Dois Irmãos e prefeitura, com intuito de conscientizar homens e mulheres a não permitir nenhuma ação de violência e, sim, denunciar aos órgãos competentes.

130 PROTETIVAS

Das 177 ocorrências de violência doméstica registradas de janeiro a novembro, em 139 casos a vítima solicitou a medida protetiva. Ou seja, ela teve o desejo de manter o agressor afastado. Entre os bairros de maior incidência, estão São João, Centro e Travessão. E a maioria das vítimas tem entre 20 e 40 anos.