Estrada Campo Bom apresenta série de riscos (Cred. Melissa Costa)

Dois Irmãos – Nesta terça-feira, uma reportagem descreveu os riscos enfrentados por moradores e também flagrantes de imprudências ao longo da Estrada Campo Bom. Quem mora ao longo da estrada que faz divisa e acesso aos municípios de Dois Irmãos e Campo Bom pede que sejam instalados redutores de velocidade ou tomada alguma providência que obrigue condutores a transitarem de forma mais lenta. Ao longo da estrada, há pontos que são permitidas velocidades entre 40 e 60km/h. No entanto, é comum flagrar veículos andando muito acima dessas marcas.

O chefe do Departamento de Trânsito, Mauro Agostini, ressalta que já foram feitas pesquisas na comunidade local e o mesmo acredita que o redutor não é a melhor alternativa. “Ao mesmo tempo que alguns moradores pedem isso, outros pedem para não por. Porém, independente dos pedidos, precisamos analisar a situação no geral. Existem critérios legais que permitem redutores, como próximo de escolas, mas na Estrada Campo Bom não acredito que isso seja a melhor solução. Não há também um ponto específico que os acidentes ocorrem. Eles ocorrem ao longo da estrada. Ou seja, não temos como por redutor em toda ela”, disse ele.

RISCOS DE ASSALTO À NOITE 

“Podemos forçar a redução da velocidade de dia em alguns trechos, mas com isso criamos outra situação: o perigo de assaltos e situações semelhantes à noite”, disse ele, explicando que o local, na sua maioria, é com mata e existe a preocupação das pessoas se tornarem vítimas da criminalidade. “Este é um assunto importante a ser levado em consideração. Na minha visão, a prudência dos motoristas deve ser a principal mudança. É necessário respeitar a velocidade permitida e cuidar as curvas e demais elevações da estrada. A maioria dos acidentes ocorre com pessoas que já conhecem o local. Dificilmente é com alguém que nunca tenha passado por ela”. O Departamento de Trânsito deverá colocar tachões sinalizando melhor a pista, melhorando a visibilidade, principalmente à noite. “essa é uma medida que traz pouco mais de segurança e é permitida por Lei”.