Produtor vende as flores, suculentas e cactos em feiras e a floriculturas (Crédito: Cândido Nascimento)

São José do Hortêncio – As plantas suculentas são é uma variedade que retém muito líquido, por isso têm esse nome. São típicas do continente africano, mas podem ser facilmente encontradas no Brasil.
No município, o produtor Evandro Flores vem investindo nesse negócio há cerca de duas décadas. Os cactos e flores de vasos também são alternativas de vendas.
Pela sua natureza, a suculenta é ótima para quem não tem muito tempo de cuidar de plantas e, por isso, não necessita regar com frequência. Elas podem ficar dias expostas ao sol. Entre as mais populares que encontramos estão a Babosa e a Espada de São Jorge.
Existem mais de 12 mil espécies de suculentas espalhadas pelo mundo, variando o tamanho de dois centímetros até um metro e meio de altura. Os cactos são reconhecidos pelos espinhos, mesmo que nem todas as espécies os tenham, e as suculentas são mais reconhecidas pelas folhas mais rechonchudas.

Uma pessoa de poucas palavras e muito simples. Este é Evandro Gampert Flores, 51 anos. Natural de Jaguari, ele morou também em Santa Catarina e Paraná, vindo para Novo Hamburgo e, por indicação, em 2002, ele e a esposa adquiriram a propriedade em Capela do Rosário.

Evandro deixou de lado o emprego no setor administrativo de uma concessionária de veículos hamburguense e passou a dedicar-se ao plantio de palmeiras, tendo o foco inicial no paisagismo. Anos depois de iniciar o negócio, começou a participar da Feira das Flores, em Ivoti, além de eventos em Nova Petrópolis e Picada Café, Expointer, em Esteio, e na Redenção em Porto Alegre.
“Nós queríamos uma alternativa de renda, de forma a não se dedicar somente nas profissões que a gente exercia até então. Encontramos essa área aqui em Capela do Rosário e decidimos adquiri-la”, explica o produtor.
Quando começou a entrar palmeiras vindas de Santa Catarina, a um preço menor do que do mercado gaúcho, Evandro decidiu partir para outras alternativas de renda, com plantas que despertassem o interesse dos clientes e tivessem um preço acessível.

A opção por flores e suculentas

Com intuito de ter uma melhor logística no transporte das plantas até seus clientes, donos de floriculturas, e até às feiras das quais participa, o produtor começou a investir em flores de vaso suculentas e nos cactos a partir de 2011.
Para implantar o plantio das mudas de flores foi necessário construir casa e estufas. A mudança de uma cidade maior e movimentada pela tranquilidade de um município do interior, fez a diferença, segundo conta Evandro Flores. “Mudou na questão da qualidade de vida. Aqui não tem o estresse de uma cidade grande, tirando alguns inconvenientes, como a questão da energia elétrica e das estradas de chão”.

As pessoas querem as mini plantas pelo baixo custo

Evandro entende que as pessoas que vão às feiras gastam, em média, entre R$ 20 e R$ 25 com flores, e observa que as mini plantas entram nesse nicho de negócio, pois algumas pessoas fazem os pequenos terrários para decorar as residências e jardins.
Em uma estufa 10x10m, ele tem cerca de 5.000 suculentas, fora os cactos e as flores de vaso. Os investimentos iniciais envolveram mangueiras e outros materiais para irrigação, tudo com recursos próprios.
Entre as estrelas das pequenas está uma planta, cuja folha é semelhante a um golfinho. Inclusive, já é uma tendência, pois entrou na graça dos japoneses e já chegou no Brasil e em outros países.
Entre as plantas conhecidas estão os gerânios, goxinias, balsamina e coléus, e entre as suculentas estão as rhipsalis, golfinhos, echeverrias e outras.

Parcerias necessárias

Uma das primeiras entidades das quais o produtor fez parte foi a Associação dos Floricultores da Rota Romântica, Aflorr, a convite do amigo Laerte Correa da Silva, que também o convidou para participar da Feira das Flores de Ivoti.
Atualmente, Evandro também integra a Aflori, que é a Associação dos Floricultores do Rio Grande do Sul. A Aflori tem o seu espaço na Expointer e fornece flores, suculentas e cactos para o jardim e para a Casa do Governador.
O produtor integra a Aflorr desde o começo e faz parte da Aflori há oito anos. Os seus clientes são de Porto Alegre, Novo Hamburgo, São José do Hortêncio, Ivoti e Estância Velha, entre outros municípios vizinhos.

Importância do crédito

Evandro se utilizou dos recursos da família para realizar os investimentos iniciais, mas considera importante que as pessoas tenham linhas de crédito. O Sicredi, por exemplo, oferece juros baixos. O produtor destaca que, se for necessário, os produtores podem se socorrer desses recursos, que deverão servir para alavancar os seus negócios, uma vez bem planejados.