FOTO: PRF

São José dos Pinhais – A Polícia Rodoviária Federal confirmou a morte de mais uma vítima do acidente ocorrido nesta manhã e que envolveu dois caminhões de uma transportadora de Novo Hamburgo. Ao todo, cinco pessoas morreram no acidente, inclusive uma criança.

A confirmação da quinta morte ocorreu por volta das 14h30. A quinta vítima fatal é o motorista de um caminhão baú, que foi prensado contra um dos caminhões da empresa de Novo Hamburgo. O caminhoneiro ficou preso às ferragens e foi socorrido com vida ao hospital Evangélico, em Curitiba, mas não resistiu aos ferimentos.

As demais vítimas – três homens adultos e uma criança – estavam dentro do carro, um Honda Civic, que foi esmagado pelo caminhão da transportadora hamburguense, a mesma que acabou atingida na traseira pelo caminhão baú.

Conforme a PRF, o engavetamento ocorreu por volta das 10 horas desta terça-feira (10), nao km 94 da BR-116 (Contorno Leste), na região metropolitana de Curitiba.

Segundo levantamento feito pelos policiais rodoviários, uma carreta colidiu inicialmente em um caminhão baú, empurrando este contra uma segunda carreta (de Novo Hamburgo), que acabou por prensar um automóvel Honda Civic contra uma terceira carreta (outro caminhão da transportadora de Novo Hamburgo).

“Nossos dois motoristas transitavam um atrás do outro, com o carro entre eles, quando uma carreta colidiu em um caminhão baú. Esse caminhão acabou colidindo em um de nossos caminhões, que acabou parando sobre o carro e atingiu outro caminhão nosso, que estava à frente”, explicou o funcionário da transportadora ao Diário.

Os dois motoristas da Sinos Transportes não se feriram, conforme a empresa.

O motorista da carreta que protagonizou a primeira colisão ficou ferido. Com ferimentos na perna, ele também foi encaminhado ao Hospital Evangélico, em Curitiba.

Conforme a equipe da PRF, o caminhoneiro saiu de Duque de Caxias (RJ) às 2 da manhã. Ele dirigiu cerca de 860 quilômetros até bater. A velocidade média desenvolvida durante a viagem foi superior a 100 km/h. O tacógrafo digital da carreta que ele dirigia foi recolhido pela perícia.

A pista foi totalmente liberada por volta de 13h45. A fila passava de 15 quilômetros.