Conecte-se conosco

Notícias

Secretário afirma que não houve irregularidade na demolição de curtume em Estância Velha

20/05/2020 - 13h08min

Estância Velha – A demolição do prédio de um antigo curtume, nas divisas entre os bairros Lira, Bela Vista e Das Quintas, gerou questionamentos da comunidade a respeito da legalidade da ação. O fato de ser uma área de remediação, com competência exclusiva da FEPAM, levantou dúvidas sobre a desativação do espaço.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Preservação Ambiental – Semape, Edenilson Klaus, o Nina, não há irregularidades na demolição do espaço. A medida foi tomada no último dia 8 de maio, em uma força-tarefa que envolveu a Defesa Civil e Secretaria de Obras, além da própria Semape e dos proprietários do prédio.

À época, a justificativa da Prefeitura para demolição do antigo curtume foi conter a dengue, além de eliminar o espaço que servia como descarte irregular de lixo, entulhos e servia como abrigo para usuários de drogas.

Laudo emitido em fevereiro

De acordo com o secretário Nina, desde fevereiro deste ano havia um laudo da Defesa Civil, indicando que o prédio apresentava risco de queda, podendo causar algum tipo de acidente, devido à fragilidade estrutural.

Para o secretário, não há nenhuma irregularidade na demolição. “Foi realizada apenas a derrubada das paredes, não foi mexido no solo. Se tivesse sido feito isso, aí sim, por ser uma área de remediação, seria responsabilidade da FEPAM, mas não é o caso”, afirmou Nina.

 Demolição

A demolição do prédio do antigo curtume foi concluída em 8 de maio deste ano. De acordo com a Prefeitura, com casos confirmados de dengue no município, foram recebidas denúncias e a Vigilância em Saúde enviou agentes ao local para localizar focos do mosquito Aedes aegypti, causador da doença.

Foi, então, iniciada uma força-tarefa para buscar soluções, envolvendo a Defesa Civil, Secretaria de Meio Ambiente e Preservação Ecológica e Secretaria de Obras, que analisaram o local e traçaram um plano de ação.

Após contato com representantes dos proprietários, a partir do dia 28 de abril as tratativas evoluíram. No dia 30 de abril, foi aplicado veneno no local para eliminar os mosquitos adultos e, na quinta-feira, 7, o proprietário da área deu início à demolição das paredes do prédio e a limpeza do local.