Conecte-se conosco

Estado - País - Mundo

Universidade começa a testar amanhã possível vacina contra a Covid-19

22/04/2020 - 10h13min

Londres – A Universidade de Oxford, uma das mais importantes do Reino Unido, anunciou que começará nesta quinta-feira, 23, a testar uma possível vacina contra a Covid-19. O anúncio foi oficializado pelo ministro da Saúde britânico, Matthew Hancock.

Conforme o ministro, “em tempos normais, chegar a esta etapa demoraria anos”, e que realizar projetos do tipo se baseiam na “tentativa e erro”. Apesar das incertezas, “as vantagens de ser o primeiro país do mundo a desenvolver uma vacina bem-sucedida são tão grandes que estou alocando todos os recursos possíveis”, ressaltou.

20 milhões de libras esterlinas (R$ 131 milhões) foram colocados à disposição da equipe de Oxford e destinou 22 milhões (R$ 144 milhões) a outro projeto de vacina desenvolvido pelo Imperial College London, a mesma instituição de recente estudo polêmico, que previu, recentemente, mis de 1 milhão de mortos no Brasil causadas pelo coronavírus, caso nenhuma ação de isolamento social fosse feita.

A Universidade de Oxford também divulgou ontem um comunicado ressaltando o trabalho desenvolvido até agora.

Leia o comunicado (traduzido) da Universidade de Oxford

A equipe de vacinas de Oxford Covid está encantada com o anúncio de terça-feira pelo Secretário de Estado da Saúde do financiamento para a avaliação da nova vacina COVID19. Nesta semana, iniciaremos o processo de avaliação de vacinas em nossos primeiros estudos em humanos e, atualmente, estamos concentrando todos os esforços na preparação para o início dos testes. Embora pareça muito tempo desde que o trabalho começou, na realidade faz menos de quatro meses desde que ouvimos falar de um surto de casos graves de pneumonia e começamos a planejar uma resposta. Nossa brilhante equipe tem trabalhado incansavelmente para chegar a esse ponto, usando nossas habilidades e experiência no desenvolvimento e teste de vacinas, e fará o melhor trabalho possível ao se mover rapidamente, priorizando sempre a segurança dos participantes do teste.

Com informações do UOL Notícias