Conecte-se conosco

Aniversários

A disposição do aposentado de 80 anos que faz caminhadas diárias em Morro Reuter

Com seu “cajado” em mãos, Darci já percorreu centenas de quilômetros e não pretende parar tão cedo (FOTO: Cleiton Zimer)

Morro Reuter – Quando bate o sino das 6h da manhã na Igreja Católica de São José do Herval a maioria está apenas acordando, mas Darci Teixeira dos Santos já está na sua caminhada matinal lá em Frankenthal. Sim, com 80 anos completados no dia 11 de fevereiro, dia sim e dia não, o policial aposentado da Polícia Rodoviária Estadual faz a sua caminhada matinal, que varia de 10 quilômetros chegando à 22 quilômetros.

Não importa se faz sol, chuva, calor ou frio. Quando é o dia da caminhada ele está lá, quase que como um ritual a ser cumprido, indo através de caminhos íngremes, com pedras soltas, gerando a si mesmo o desafio e cumprindo-o. No final das contas, tudo isso resulta em algo que não tem preço: saúde de ferro e disposição de sobra, de dar inveja a muitos jovens de 20 anos.

Seu Darci tem 80 anos e as caminhadas são uma prática que ele mantem há 10 anos (FOTO: Cleiton Zimer)

Darci mora na localidade de São José do Herval há oito anos. Mas mesmo antes disso já começou com a prática de caminhadas, há cerca de 10 anos. “Primeiro eu caminhava todos os dias, mas agora eu caminho um dia sim e outro não”, contou.

Em suas andanças ele percorre diferentes caminhos. Um deles, que é mais curto – entre 9 a 10 quilômetros-, é indo em direção a Padre Eterno Ilges subindo pelo Restaurante Colonial Kieling e, em seguida, retornando. O outro já é um pouco maior, totalizando 18 quilômetros, e vai pela localidade de Frankenthal, passando por Padre Eterno Ilges e, em seguida, retorna também pelo Kieling. Mas tem um terceiro, que demanda ainda mais energia e que totaliza 22 quilômetros indo pela Fazenda Padre Eterno, retornando pelo caminho de Padre Eterno Ilges que também sai em frente ao restaurante em São José do Herval.

O resultado de todo esse esforço é aplicado em desafios ainda maiores. “Temos um grupo de amigos que participa de diversas caminhadas. O nome do grupo é Porradas, pois a gente caminha muito mesmo”, conta, afirmando que já participou de uma caminhada onde percorreram 70 quilômetros e um dia, saindo às 5h da manhã de Canela e chegando às 19h em Cazuza Ferreira, em São Francisco de Paula.

Darci na década de 1970, na Catedral de Santa Cruz (Arq. pessoal

Qual o segredo para chegar nos 80 anos com tanta disposição?

Por onde quer que vá, seu Darci é reconhecido e admirado por sua disposição. Afinal de contas, são vários caminhos trilhados, amizades eternizadas, diversas regiões do Brasil desbravadas e que rendem muitas histórias para contar. E não importa qual o nível de dificuldade ou a distância, ele topa, porque lá no fundo ama o desafio.

Questionado se, em algum momento, pensa em parar com suas caminhadas, logo responde o óbvio: “só vou parar no dia em que não puder mais”. E os exames comprovam que vai continuar por muito mais tempo, pois toma somente um remédio por dia para controlar a glicose, mas não têm diabetes ou qualquer outro problema de saúde.

Além de caminhar, Darci também domina a tecnologia, sendo participativo nas redes socias e aplicativos de comunicação (FOTO: Cleiton Zimer)

 

Mas afinal de contas, será que existe algum segredo para chegar aos 80 anos com tanta força, disposição e saúde em dia? “Eu aconselho as pessoas a terem, primeiramente, uma atividade física. O cara que está aposentado precisa ter uma atividade, não é só ficar dentro de casa”, diz ele, reforçando que “é uma questão de hábito e de vontade”. E ainda destaca um ponto muito importante: “não adianta eu fazer exercícios físicos, chegar em casa e comer até não querer mais, tomar cerveja e fumar. Esses são hábitos que fazem mal para a gente”.

Darci, que mora sozinho, da algumas dicas de alimentação: “Quando acordo como duas colheres de aveia, uma banana, um copo de leite e três bolachinhas integrais. De noite é mesma coisa. Só como comida de sala ao meio dia”, revela, destacando que nunca serve o segundo prato. “A comida é o essencial. Mas tu não precisas comer para encher o estomago. Se comer 50% do que tu pensas que vais comer já o suficiente”, comenta.

Darci diz se sentir muito bem ao caminhar, e afirma que desde o momento em que começou a fazer suas caminhadas já perdeu 23 quilos. “Cheguei a pesar 93, hoje me mantenho nos 70 quilos”, disse ele.