Complexo Rua da Praia passa a receber eventos como caminhadas, competições náuticas e feiras (Créditos: Nilson Winter)

Localizado na Av. Dom João Becker, em São Leopoldo, o Marco Zero é o ponto inicial da Rota Romântica do estado. A casa, construída no estilo enxaimel, hoje abriga informações turísticas do município, e é ponto de partida para pessoas da região metropolitana que iniciam o caminho da rota. São Leopoldo é referência em turismo religioso, tendo um dos pontos que mais atraem fiéis no Vale do Sinos: o Santuário Sagrado Coração de Jesus. Popularmente conhecido como Padre Reus, o local abriga o túmulo do padre João Baptista Reus que viveu e ministrou celebrações na cidade até 1947, ano de sua morte.

Atualmente, o local é famoso pelas procissões que levam cerca de 1,5 milhões pessoas a visitar o santuário. Além da procissão de Páscoa, a romaria em homenagem ao padre – que ocorre anualmente no segundo domingo de julho – está entre as mais procuradas pelos devotos.

Museu do Trem

Local da preservação da história ferroviária do Estado, o Museu do Trem abriga a primeira estação construída no RS. Além de promover eventos durante o ano, o espaço contém um grande acervo da extinta Viação Férrea do Rio Grande do Sul (VFRGS) e da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA).

Museu do Trem preserva a história (Créditos: Nilson Winter)

Parque Imperatriz Leopoldina

Inaugurado em 2006, o Parque Imperatriz Leopoldina é um espaço importante para o turismo ecológico. Com 174 hectares, o local abriga trilhas ecológicas, cinco conjuntos de churrasqueiras, duas canchas bocha, duas quadras de vôlei e uma quadra de futebol. Localizado na Avenida Imperatriz, no Bairro Pinheiro, o espaço é considerado destaque na preservação ambiental da cidade. Somando lazer a ecologia, o parque é procurado por famílias que desejam se conectar a natureza e aproveitar a flora do local.

Complexo Rua da Praia

Um espaço que vem ganhando destaque na cidade é o Complexo Rua da Praia. Ao lado do Rio do Sinos, a rua é um marco histórico e arquitetônico, tendo papel importante na chegada dos imigrantes alemães em 1824. Atualmente, passa por um processo de revitalização que já contou com a pavimentação da rua e melhorias na estrutura. Buscando criar um espaço de lazer, e aproximação da comunidade com o meio ambiente, a orla do Rio do Sinos agora passa a receber eventos como caminhadas, competições náuticas e feiras.

Leia mais no caderno Rota Romântica clicando aqui.