A Cerveja Artesanal vai nos levar ao que o vinho deu a Bento e Garibaldi

– Dois Irmãos tem a Hunsrück e a Mater, duas cervejarias. Tem mais duas com seus prédios em construção, ambas na rua Pedro Gregórius.
– Destas duas em obras, uma delas é da família (não só do ex-político da cidade, como a gente tinha ouvido), que se juntou para criar esta cervejaria, que vai ser aberta em dois ou três meses, cujo nome não foi divulgado, mas também terá algo a ver com uma cidade alemã…
– E não é que tem “mãos dois-irmonenses” fazendo cerveja na Bahia? Sim, é na cidade de Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. Mas outro dia a gente fala mais disso!
– Aliás, você sabia que existe a cerveja artesanal Two Brother? Amanhã a gente conta onde é…

ANTES TARDE…

Felizmente “está acontecendo”, mesmo que seja apenas 15 anos depois que começamos a escrever aqui, que Dois Irmãos e região deveriam focar na cerveja (dos alemães), para ter o mesmo sucesso turístico que Bento e Garibaldi tiveram com a uva e o vinho (dos italianos). E, com certeza, temos muito a crescer neste setor, que é crescente no Brasil.

 

Nossa homenagem às nossas cervejarias e cervejas, das quais somos (sou) fã: cada uma à seu estilo, ao seu tamanho e ao seu próprio público, mas com uma coisa em comum: pioneiras. E, como se vê, este número 4 logo será 7. Ganhará a região com isso!

MORRO E HERVAL

 

– Temos a Wig´s nascendo em Herval (já presente na Kartoffel este ano), temos Alenda Bier em Morro Reuter (desde 2010), onde, também, vai ter outra cervejaria, a Paiol, se nossas fontes estiverem 100%…
– Em breve, quem sabe, de Dois Irmãos a Herval, possamos ter nossa própria Rota da Cerveja Artesanal (e que não seja um roteiro “só no papel”, como tantos!). É sonhar muito alto!?
– Isso será ótimo, pois as micro-cervejarias geram emprego, renda e impostos, além de trazer junto o turismo, a gastronomia e um ótimo conceito às nossas cidades.

GRAMADO

– Querem um exemplo? No passado, o turista “lá de cima” que vinha a Gramado pela primeira vez, ao saber que Gramado ficava na Serra Gaúcha, vinha para cá, e, de certa forma, equivocadamente, queria levar vinho embora. Mas como, se vinho é em Bento, Garibaldi ou Caxias e não em Gramado? Sabe o que aconteceu? Com este limão (ou melhor, com esta procura por vinícolas) fizeram uma limonada! Mas como o espaço está curto, vamos deixar para amanhã esta reflexão sobre vinho e cerveja artesanal e tudo o que eles trazem consigo de bom à região!
– Falando em refletir, finalizamos com a mensagem positiva do dia, que serve para nortear a nossa vida, mas também tem a ver com este assunto debatido hoje: “Para quem só acredita no acaso, parece absurdo criar as condições favoráveis para as coisas acontecerem. Mas para quem se dedica a criar estas condições, o acaso não é motivo de preocupação”, de Álex Rovira Celma. Aliás, como disse Sêneca, que viveu em Roma no ano 60 depois de Cristo: “Se um homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável”.