A grandeza da Lei do Issur para acabar com inauguração sem a obra estar pronta

E a ida da prefeita Tânia à Câmara na segunda? O que achou? Quais os respingos no cenário eleitoral?

OVOS

O deputado Issur propôs uma lei para proibir a falácia de inaugurar obras sem estarem prontas. E proibir todos aqueles “penduricalhos” que os políticos inventam para aparecer na imprensa, conforme falamos ontem. A fala do deputado do PP resume, em termos, tudo o que temos falado aqui há muitos anos, por isso, parabenizamos o Issur. Olha o que ele disse: “Ao longo dos anos nos acostumamos com lançamento de pedras fundamentais e obras de papel”. Aqui, neste espaço, sempre dissemos que antigamente era só “uma inauguração” e deu. Mas, hoje em dia, temos 50 atos e solenidades para cada obra. É “licitação” (que parece uma inauguração), igual a “assinatura do convênio”, aí vem a “visita ao local” (com uma comitiva de autoridades), aí vem o “lançamento da pedra fundamental”, depois tem mais visita à obra por deputados ou autoridades superiores, aí vem assinatura da segunda etapa e por aí vai. Ah, e tem também a “entrega da obra à comunidade”, que precede à inauguração. Lá no fim, sempre com relativo atraso e gastando bem mais (o famoso “aditivo”, que escapa aos valores do rigor da licitação), então, é feita a inauguração da obra.

LULA

Aliás, em nossos comentários, que nos desculpem os petistas, sempre escrevemos que esta prática começou com o Lula. Antes disso, não lembramos de existir qualquer coisa parecida. Mas com Lula, começaram os shows de inaugurações! Era solenidade disso e daquilo. Aliás, a Dilma, ex-presidente, já não veio a Porto Alegre duas ou três vezes para “lançar” ou “inaugurar” o metrô! E não tem uma única pá de terra retirada para abrir os túneis do tão prometido metrô! Mas o espaço na imprensa, o comentário e os elogios nas ruas , e, principalmente, os votos, eles receberam! Vieram colher, mas não plantaram nada. Ora, para colher é preciso plantar.

QUEM GANHA

Você deve estar pensando que só o povo ganha com esta lei? Sem dúvida, o povo ganha! Mas não é só o povo, os políticos também saem ganhando, afinal, sendo uma única inauguração, esta vai gerar impacto, e, com isso, mais gente irá prestigiar. Hoje em dia é tanta solenidade que, quando a obra é inaugurada, não vai ninguém. Prova disso foi a ponte da Av. Sapiranga, que relatamos neste espaço há duas semanas. E ganham também os políticos porque vão ter mais tempo para trabalhar pelo povo, do que ficar organizando estes atos sem fundamento!

PICANTES

– Mas a vitória maior é do Brasil, afinal, só será permitido inaugurar obras prontas. Assim, ninguém vai querer se promover perto da eleição em uma obra inacabada.
– Se o problema ainda fosse a obra atrasar para ser finalizada, mas tem casos que, mesmo depois de inaugurada, nunca saiu do papel. Enfim, voltaremos ao assunto outro dia, para citar dois casos ocorridos aqui na cidade…
– A mensagem positiva do dia, de Napoleon Hill, no livro “Mais esperto que o Diabo: “Tenha muito cuidado com o que você deseja de coração, porque por certo será seu”, afinal, “tudo o que acreditar ser verdadeiro, a partir daquele instante começa a se tornar verdadeiro”.