Conecte-se conosco

 

Coluna Nova Petrópolis

Gramado queria um empréstimo de R$ 35 milhões; as comparações são inevitáveis

As comparações entre Nova Petrópolis e Gramado viraram uma espécie de tabu para os de cá depois que, há cerca de um ano, um secretário municipal, agora ex-secretário, mandou os críticos daqui irem morar lá. Mas há um tema que caiu do céu para um colunista que está na praia e que, mesmo assim, quer escrever diariamente sobre o seu município. É que a Prefeitura de Gramado queria fazer um empréstimo de R$ 35 milhões. Queria, mas não levou, porque a Câmara votou contra. Não há tabu que resista a uma comparação dessas.

SOPA DE LETRINHAS

O prefeito de Gramado, popular Fedoca, foi derrotado pelos 5 votos da oposição, lembrando que lá são apenas 9 vereadores. E aí está um ponto que chama muito a atenção. Os cinco vereadores que votaram contra o empréstimo são todos do PP. Lá os progressistas são contra investimentos com dinheiro emprestado. Enquanto isso, em Nova Petrópolis, o partido do numeral 11 protagoniza o empréstimo de R$ 14 milhões. É um exemplo clássico de que os partidos brasileiros não passam de uma sopa de letrinhas, inclusive os grandes como o PP. Não há diretrizes partidárias a seguir. Nada. Só interesses meramente momentâneos e locais.

MERAMENTE MOMENTÂNEOS

A prova de que os políticos e os seus partidos não trabalham com convicções, e sim com interesses imediatos, é que na gestão anterior, os vereadores do PP de Gramado eram governo e aprovaram um empréstimo. Mudaram seus conceitos sobre financiamentos com o resultado da última eleição. Nada mais natural.

ESTÁ VIRANDO MODA

Mas eu não estou muito preocupado com os vereadores de Gramado. Quero falar de Nova Petrópolis. Só precisei introduzir o tópico acima para chegar à seguinte conclusão: o empréstimo de dinheiro nas prefeituras está virando moda, o que é perigoso e preocupante. Após a sessão, ainda na noite de segunda-feira, o prefeito Fedoca gravou um vídeo falando de sua derrota. Disse que são coisas da democracia e que é preciso aceitar e aprender. Mas lembrou que ele está pagando as prestações do empréstimo feito por seu antecessor e que nunca reclamou. Em outras palavras, Fedoca acha que, dessa forma, sua gestão também tem direito a pegar uma grana emprestada. Se o empréstimo de R$ 14 milhões for confirmado em Nova Petrópolis, o sucessor de Lelo provavelmente virá com o mesmo pensamento. É dessa forma que os empréstimos nas prefeituras se transformação de moda em regra. Em pouco tempo não haverá como fugir deles.

O PIOR DETALHE

O pior detalhe dessa moda dos empréstimos nas prefeituras é que eles são tentados com vistas a fazer obras no último ano da gestão, o que os transforma em manobras puramente eleitoreiras. Disso os partidos políticos entendem como ninguém! Ou você já viu um candidato a prefeito colocar uma proposta de financiamento em seu plano de governo?

OUTRO DETALHE

O prefeito de Gramado queria R$ 35 milhões para fazer obras elencadas na agenda estratégica recém-elaborada pelo município. Em Nova Petrópolis também temos uma, que se chama Nova 2050. Inclusive, a nossa agenda estratégica teve inspiração na deles. Mas, diferente de lá, as obras que justificam o empréstimo de R$ 14 milhões aqui têm pouquíssima relação com o conteúdo do Nova 2050.