Terceira via

Será nesta sexta-feira de noite o tradicionalíssimo Café Colonial promovido pela Liga de Combate ao Câncer de Ivoti. O café inicia às 19 horas no ginásio da Comunidade Católica. Portanto, volta ao seu antigo endereço. O cartão é R$ 40,00. Dúvidas fones 99500-7947 ou 99546-6444.

PRESIDENTE

O Partido Progressista de Ivoti tem novo presidente. Trata-se de Martin Kalkmann, o mesmo. O prefeito de Ivoti assumiu a presidência do partido. Foi uma guerra a eleição para a presidência, pois o partido está no poder, mas se encontra extremamente dividido. De um lado está Maria, que ameaça sair do partido há algum tempo, desgostosa com o tratamento que vem recebendo desde o episódio do processo que foi movido contra ela e a tirou do poder. O atual prefeito virou desafeto da ex-prefeita porque alçou vôo próprio. Este é, aliás, o grande problema da nossa política. Os velhos políticos ficam velhos na “profissão” porque trabalham para isto. Eles não deixam ninguém crescer ao seu redor justamente para não acontecer com o ocorreu com Maria. A ex-prefeita teve que forçadamente apoiar alguém que não se deixou mandar por ela. Fora da Prefeitura, Maria quer continuar tendo protagonismo e luta por isso. Só que não no PP. Lá ela perdeu partidários aliados a ela porque não vêem perspectiva de ficar no poder no curto e médio prazo. Maria não será candidata na próxima eleição. O máximo que vai ocorrer será ela apoiar alguém. Primeiramente se imaginou que ela sairia do PP no fim do ano passado ou começo deste ano. Não aconteceu. Depois se imaginou que ela sairia agora, dependendo do resultado da eleição do partido. Ainda não aconteceu. Mesmo que fique no PP, o que é improvável, a verdade é que Maria perdeu espaço no partido. Ela levou consigo cerca de 50 filiados que se desligaram, o que é estranho, porque ela não está junto. Eles simplesmente se desligaram a pedido dela. Mas a própria Maria esqueceu de se desligar.

OPOSIÇÃO

A oposição dentro do PP ficou forte com o jogo político, cujas peças foram movidas pelo prefeito Martin. O PP perdeu 50 filiados, mas ganhou outros 40. Ficou quase no empate. Sem dúvida, o prefeito jogou pesado, coisa que parecia não ser do seu feitio. Entretanto, não deixou por menos e disse aos quatro cantos quem é o manda-chuva do partido. E levou consigo “progressistas” que estavam em cima do muro como Satoshi e Borracheiro. O vereador Pires não toma partido. Ele continua em cima do muro, à espera do movimento das peças do tabuleiro. O que está em jogo na verdade é o candidato a prefeito no ano que vem. Imaginem se Maria continuar no PP e será a convenção que decidirá quem será o candidato a prefeito. E Maria é muito forte, todo mundo sabe. E o indicado por Maria terá muita força na indicação do partido para candidato a prefeito. Eleitoralmente é inegável que ela continua muito forte. Não mais como antes, mas sem dúvida continua muito forte. Donde se conclui que será o PP que dará as cartas na próxima eleição municipal. A não ser que Maria venha mesmo a sair do partido, como ela própria vem dizendo há muito tempo. Está falando mas não fazendo. Ela deve estar avaliando o quadro político de olho na eleição do ano que vem. Martin é candidato e provavelmente Beto continuará sendo seu vice. Ou será Martin ou o candidato de Maria. Podem tomar nota já que um dos dois será o novo prefeito. A não ser que os dois se digladiem de tal sorte que uma terceira via surja e tome o lugar dos dois.