Leandro depõe no tribunal do júri nesta quarta-feira, 13, em Três Passos (Créditos: Twitter/TJRS)

Três Passos – Terminados os depoimentos das testemunhas de defesa e acusação, o pai de Bernardo Boldrini, o médico Leandro Boldrini, depõe na tarde desta quarta-feira, 13, no Fórum de Três Passos. Ele é um dos réus do processo aberto pelo Ministério Público, junto com a madrasta Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz.

Segundo o pai, acusado de receitar o medicamento calmante midazolam, causador da morte do menino, conforme constatado pela perícia, o menino utilizava dois medicamentos para regulação de comportamento. Ele também negou “veementemente” ter participado do ato criminoso, após questionado pela juíza Sucilene Engler.

Conforme Leandro, Bernardo gostava muito de brincar na casa dos colegas, e este motivo havia os afastamentos de casa por parte do menino. “Ele tinha um grau de personalidade muito forte. Ele queria uma coisa, tinha que ser agora”, disse Leandro sobre o filho.

O médico também disse que talvez fosse um pai mais provedor do que presente. “O trabalho afetava”, respondeu ele. Também disse que não via “nada de anormal” o fato de Bernardo ter acompanhado Graciele a Frederico Westphalen.

Leia também: