Presidente do MDB de Santa Maria do Herval, Derly Carlos Bassegio. (FOTO: Cleiton Zimer)

Santa Maria do Herval – Em entrevista ao Diário, o presidente local do MDB e primeiro prefeito do município, que presidiu a prefeitura por dois mandatos (1989 a 1992 e 2005 a 2008), Derly Carlos Bassegio, falou de um acordo que foi feito na eleição passada entre a coligação (PDT, PT, PMDB, PTB) e, que até o momento, não era de conhecimento da população hervalense.

“Na eleição passada, para que o MDB, na época PMDB, participasse da coligação e apoiasse a candidatura da hoje prefeita Mara, em reunião com os presidentes dos partidos, foi acordado por todos que o próximo candidato a prefeito seria do MDB”, disse Derly, afirmando que o provável candidato será o atual vice-prefeito e secretário de obras, Gilnei Capeletti que, de acordo com Derly, saiu do PT e foi filiado justamente para ser candidato pelo MDB. “Ele tem qualificação para ser candidato. Está sendo um bom secretário de obras e fazendo um bom trabalho na Administração. Além disso, sempre esteve ao lado do MDB mesmo quando era do PT”, comentou Derly.

 “Uma figura decorativa”

Derly afirma que qualquer questão ainda precisa ser decidida pelos filiados e diretório, mas enfatiza a relevância do acordo. “Todos da coligação reconhecem que, sem o MDB, a prefeita Mara não teria ganho a eleição. No entanto, nos três anos que se passaram, o MDB foi apenas uma figura decorativa na Administração. Não teve um cargo sequer, nem secretaria, nem CC”, destacou.

O presidente do partido comentou ainda que, a prefeita Mara, por sua vez, não concorda. “Ela acha que não foi prometido. Claro, não foi formalizado no papel, mas os quatro partidos concordaram que o próximo candidato seria o MDB, e o partido não vai ficar mais quatro anos de fora”, ressaltou.

Uma boa administração

Apesar disso, Derly enfatiza que está sendo feita uma boa administração. “Concordamos que, dentro do possível, a prefeita tem feito uma boa administração. Sabemos também que ela gostaria de concorrer à reeleição. Mas como fica o acordo? O MDB não filiou o vice-prefeito para ser, novamente, vice, e sim, candidato a prefeito”, disse Derly, em relação a saída do vice-prefeito Gilnei Capeletti do PT se filiando ao MDB. “A não ser que ele não queira concorrer. Mas, se não quiser, dentro de um quadro com o maior numero de filiados do município, certamente haverá alguém qualificado que queria”, disse.

A reportagem entrou em contato com o vice-prefeito Gilnei, para confirmar se vai concorrer a prefeito, mas, até o momento, não obteve retorno.

“Não foi feito acordo”

Procurada pelo Diário, a prefeita Mara comentou que não houve acordo. “Em nenhum momento foi feito um acordo, o que aconteceu foi uma conversa informal entre os partidos da coligação e, naquele momento foi sim comentado, mas nada foi oficialmente decidido”, ressaltou Mara, a primeira prefeita de Santa Maria do Herval, que ainda não confirmou se vai ou não concorrer a reeleição.