Pires quer medidas para evitar venda de produtos sem alvará em Ivoti (Créditos: Arquivo/ODiário)

Ivoti – Os galhos espalhados nas ruas do município estão preocupando as autoridades políticas. Na Câmara, o assunto foi tema de fala. O vereador Cleiton Birk (Pires – PP) pediu a redução da taxa de recolhimento de galhos.

Para o vereador, a taxa é alta. Por conta disso, pediu que o setor jurídico da Prefeitura faça um estudo para reduzir o valor. “Não é botar pilha, mas precisamos de uma saída. A maioria já paga o IPTU. Fica difícil tu pagar o imposto que já está alto e ainda pagar uma taxa de recolhimento de galho”, disse.

Pires acredita que o valor é alto. Ele deu uma ideia aos moradores. “Façam um monte só e dividem esse valor. É uma taxa só. Tem ruas que não dá para caminhar, fora os galhos que estão nas ruas que precisamos desviar”, falou.

No final de sua fala, Pires contou que viu moradores deixando galhos em terrenos baldios. “Infelizmente, o dono do terreno terá que pagar. Não quero prejudicar ninguém, mas precisamos ter uma saída”, finalizou.

A COBRANÇA 

Em maio, o Diário noticiou a explicação do vice-prefeito e secretário de Obras, Beto Schneider, sobre a cobrança no recolhimento de galhos. Na época, ele explicou que o Código Tributário prevê a cobrança em alguns casos. “Vamos seguir a lei: montes com mais de uma carga ou um metro cúbico, a Prefeitura não irá recolher mais. O morador deve pagar uma taxa de R$ 166”, explicou.

Ainda na entrevista, Beto reforçou o fato de que a atual administração precisa cumprir a lei que existe desde 2009. “A comunidade precisa ser informada disso. No IPTU, há a cobrança do lixo doméstico, mas os galhos não se enquadram nisso. A lei é a 2.500 do Código Tributário do município”,