Conecte-se conosco

Destaques

Lindolfo Collor/Novo Hamburgo: defesa quer diminuir pena de mulher que mandou matar marido

Lindolfo Collor – O advogado de defesa de Liete Lenice Wandscher Matte, 31 anos, e do irmão dela, Laércio Wandscher, 35, já trabalha na elaboração de um recurso para contra-atacar a decisão do júri popular que condenou ambos por arquitetar a morte do gerente industrial Marcelo Edson Matte. Liete era esposa de Marcelo.

De acordo com o advogado Carlos Moura, a intenção é discutir falhas durante o curso do processo e uma eventual redução de pena dos clientes. Caso o Tribunal de Justiça (TJ/RS) acate o recurso no que diz respeito a falhas processuais, isso poderá provocar a anulação do julgamento ocorrido na quinta-feira passada, no Fórum de Novo Hamburgo.

“Essas falhas na tramitação do caso ao longo dos anos, e a utilização de decisões de processos distintos durante o júri interferiram, de maneira negativa, no resultado do júri”, apontou.

PENA MENOR

Caso a decisão dos jurados seja mantida pelo TJ, o advogado reconhece que é praticamente impossível conseguir a absolvição de Liete e Laércio. Entretanto, o defensor trabalhará para, então, reduzir a pena dos irmãos. A ex-mulher de Marcelo foi condenada a 20 anos de prisão. O irmão dela pegou 21 anos de reclusão.

Para o defensor, a juíza Angela Roberta Paps Dumerque errou ao definir a pena dos réus. Segundo ele, um dos pontos usados pela magistrada para aumentar a pena de Liete se baseou no testemunho de uma pessoa de uma suposta ameaça feita pela acusada. “A Liete nunca foi indiciada por esse crime, sequer há ocorrência do fato”, ponderou o advogado.

Além de Liete e Laércio, também foram condenados os matadores de aluguel Jônatan Garcia Woithoski, vulgo Alemão, 25 anos, e Geovani Francisco dos Santos, 30. O primeiro pegou 15 anos de prisão. O outro, 18 anos. Os dois seguirão cumprindo pena no regime fechado.