Mais um passo foi dado para o combate à violência contra a mulher (Cred. Imagem Ilustrativa)

Dois Irmãos – Os primeiros cinco meses de 2019 mostram que as ocorrências de violência contra a mulher continuam aumentando em Dois Irmãos. De janeiro a maio, foram registrados 82 casos de ameaça ou agressão na Delegacia de Polícia. No mesmo período do ano passado, eram 61 registros. No ano passado, durante todo o ano, foram 126 ocorrências, ou seja, em média, uma mulher era agredida a cada três dias. Com a nova estatística dos cinco primeiros meses, neste ano, uma mulher está sendo vítima de violência doméstica a cada dois dias. Para um município com população de cerca de 30 mil habitantes, são números considerados altos.

Ressalta-se que estes são os casos registrados, nos quais a vítima procurou Brigada Militar e Polícia Civil para denunciar as agressões e pedir ajuda. Os acusados, na maioria, são companheiros ou ex-companheiros que não aceitam o término do relacionamento. As motivações para o início das brigas, ameaças e agressões são, no geral, decorrentes de embriaguez ou consumo de drogas. Ou seja, normalmente, no dia da violência física ou psicológica, o agressor havia ingerido bebida alcoólica ou alguma droga ilícita. No entanto, cada situação tem seu histórico.

60 PEDIDOS DE MEDIDA PROTETIVA

Dos 82 casos registrados, em 60 deles a vítima pediu medida protetiva à Justiça. A maioria delas tem por objetivo se desligar do ambiente de ameaças, brigas e agressões e também deseja o afastamento do agressor. Nestas 60 ocorrências, os policiais civis encaminharam os pedidos ao Fórum. Com o aumento de pedidos e deferimentos de medidas, também está aumentando o número de descumprimento. Dependendo a situação, o juiz determina distância que o agressor precisa manter da vítima e o mesmo também não pode entrar em contato com ela de nenhuma forma, pessoalmente, por telefone ou redes sociais. Nestes cinco meses, 10 casos os agressores descumpriram a medida, atitude denunciada na Delegacia ou flagrada pela Brigada Militar.

VIOLÊNCIA POR QUASE TODO O MUNICÍPIO

Desde o ano passado, a Delegacia de Polícia faz um levantamento mensal das ocorrências de violência doméstica. Além da quantidade de casos, também são apontados os bairros e as idades das vítimas. Estes dados proporcionam um levantamento mais abrangente e pontual sobre os casos. O principal deles é de que as agressões e ameaças ocorrem em quase todos os bairros do município. De janeiro a maio, somente não houve registro nos bairros Travessão Rubenich, 7 de Setembro e Beira Rio. Os bairros com mais casos registrados são o São João (13), Centro (09), Bela Vista (08) e Travessão (07).