Moradores da Encosta da Serra investiram mais de R$ 65 milhões na InDeal (Arte Diário)

Dois Irmãos/Região – Um morador de Dois Irmãos de 52 anos, que prefere não ser identificado, se tornou um investidor da InDeal em outubro do ano passado. Ele vendeu um carro de menor valor e juntou algumas economias e investiu R$ 10 mil, assinando o contrato com a InDeal, no qual receberia o montante de 13% de rendimentos em um mês. “Fiquei sabendo deste mercado de investimento através de um amigo, que já tinha colocado dinheiro e havia obtido um lucro muito superior ao do banco. Me interessei e procurei um franqueado. Ele me explicou e decidi arriscar. Coloquei este valor de R$ 10 mil. Não queria perder, mas também não era um valor que me deixaria em dívida caso o pior acontecesse. Assinei um contrato e deixei o dinheiro lá”, contou.

No primeiro mês, através de um aplicativo no celular, o morador relata que acompanhou o valor na conta. Depois, ao ver o valor rendendo, decidiu manter o investimento. E, assim, seguiu até início do mês de fevereiro, quando ocorreu a primeira movimentação de investigação, envolvendo Ministério Público e Polícia Federal. Receoso de perder os R$ 10 mil e mais os rendimentos, o morador optou por pedir a retirada do dinheiro. “Logo, foi um susto. Quando soube das notícias, pedi a retirada pelo próprio celular. Depois fui conversar com o franqueado e, mesmo com as explicações, optei por seguir com a retirada. Como o mês não tinha fechado, recebi cerca de R$ 15 mil. Foi o valor prometido. Quando assinei o contrato, lá no mês de outubro, me disseram que eu poderia pedir a retirada a qualquer momento, só teria um prazo de até seis dias para receber. Retirei os R$ 15 mil em três dias”.

DIVIDIDO – Mesmo com as notícias da investigação, o morador ficou dividido. “A vontade era de investir novamente, mas segurei. Esperei, pois não sabíamos o que iria acontecer. Até terça-feira, confesso que às vezes batia arrependimento, mas quando vi as notícias, deu um alívio. Porém, agora, a gente está esperando para ver o que vai acontecer, se as pessoas irão receber o dinheiro. Este mercado é uma maneira que o dinheiro rende melhor, muito melhor que no banco. Vi uma oportunidade de fazer o dinheiro render. Se eles estão fazendo algo errado, a gente não sabe ainda, está tudo confuso”. Questionado sobre o futuro, o morador disse que se todos os investidores receberem e a empresa continuar atuando, manterá a confiança e “a vontade vai ser de repetir, voltar a investir”.