Dois Irmãos – A eleição para presidência da Câmara de Vereadores é sempre uma incógnita em Dois Irmãos. Muito se especula e as articulações sempre são várias, desde a união dos partidos até contar com aquele voto do “opositor” para chegar na cadeira máxima do Legislativo. As últimas eleições de presidente entraram para a história e, para 2020, ainda não há nada, oficialmente, definido.

Alguns vereadores já manifestaram desejo pelo cargo, mas chapas (ou apenas uma) serão apresentadas somente na noite, momentos antes da eleição.

 

O atual presidente, Sérgio Fink, não esconde que ficaria feliz com a reeleição. “Isso aconteceria pela primeira vez na história da Câmara e acredito que seria merecedor, pois fiz a gestão mais enxuta até hoje. Mas, como sabemos, tudo pode acontecer até o último minuto e acredito que a eleição de presidente irá respingar na eleição municipal do ano que vem”, disse ele. O colega de partido, Elony Nyland, diz que se a “presidência cair no colo” ele aceita. “Hoje, tem vários vereadores querendo ser presidente. Vejo que pode ter até três chapas, dependendo das articulações. O que vai interferir muito é a ‘união’ da maioria – que são MDB, PP e PSB. Ainda não houve articulações do nosso lado, mas já soube que houve algumas movimentações”, disparou Elo.

SEM SE ENVOLVER – Um dos nomes sondados foi de Léo Buttenbender (PSB). Ele, no entanto, diz que estará fora do páreo. “Particularmente, eu vereador Léo, não vou me envolver neste ano para a disputa da presidência. Ouve acordos em anos anteriores e eles não foram cumpridos. Sempre de última hora acontece uma surpresa. Vou deixar para alguns integrantes do partido dialogarem. Será tudo com eles, deixando esse mérito com a direção do partido e esperar a hora da eleição. Não vou citar o que conversamos entre a sigla. Lá na frente tomamos nossa decisão…”.